PUBLICIDADE
Topo

Notícias

EUA chegam a 5 milhões de casos de covid-19 e podem enfrentar crise de pessoas sem teto

Donald Trump, presidente dos EUA, enfrenta um aumento nas taxas de desemprego - Saul Loeb/AFP
Donald Trump, presidente dos EUA, enfrenta um aumento nas taxas de desemprego Imagem: Saul Loeb/AFP

Paula Moura

Da RFI, em Nova York

11/08/2020 06h33

Os Estados Unidos lideram os casos de covid-19 no mundo: mais de 5 milhões confirmados e cerca de 163 mil mortes. Em meio à propagação da epidemia, que causa sérios danos à economia americana, o Congresso não consegue chegar a um acordo sobre um novo pacote de estímulo.

Depois da aprovação de um plano de US$ 2 trilhões em março, a maioria democrata na Câmara dos Representantes aprovou um segundo pacote de US$ 3,4 trilhões. No entanto, republicanos, que detêm a maioria no Senado, propuseram gastos de US$ 1 trilhão.

Foram mais de dez reuniões entre Nancy Pelosi, líder democrata na Câmara, Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado, Mark Meadows, chefe de gabinete de Trump e Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos Estados Unidos. Todas sem acordo. Assim, no sábado (8), a três meses das eleições, o presidente Donald Trump assinou quatro ordens executivas numa tentativa de mostrar que tem controle sobre a recessão e a pandemia.

Enquanto os partidos discutem o montante do pacote, o auxílio emergencial para quem ficou desempregado expirou no fim de julho e várias pessoas perderam essa renda que estava ajudando a pagar aluguel e comida — além de movimentar a economia como um todo. O país, que já tem 16 milhões de desempregados, espera agora uma onda de pessoas sem teto.

Segundo o Departamento de Trabalho dos EUA, a taxa de desemprego chegou a 10,2%. Essa população estava recebendo um auxílio de US$ 600 por semana do governo federal graças ao primeiro pacote de emergência contra a crise. No sábado, Trump assinou uma ordem dizendo que os desempregados passariam a receber US$ 400, sendo US$ 300 pagos pelo governo federal e $ 100 pelos governos estaduais. Esse foi um dos pontos que causou críticas dos governadores, pois as receitas dos estados despencaram com a crise.

As medidas de Trump devem gerar várias ações na Justiça, pois o orçamento do governo federal é de responsabilidade do Congresso, não do presidente. Trump também assinou projetos para impedir despejos e suspender impostos sobre a folha de pagamentos, entre outras medidas para atenuar os efeitos da crise. Mas ficaram de fora algumas propostas que provocam um debate acirrado entre os partidos. Entre elas estão a ajuda a pequenos negócios, para escolas, estados e cidades, que são cruciais para recuperar a economia.

O aumento de casos de covid-19 ocorre principalmente no sul dos Estados Unidos, de acordo com os CDC (Centros para Prevenção e Controle de Doenças). Uma base de dados do jornal New York Times mostra que o número de infectados cresce em sete estados e diminui em 17. Na semana passada, os estados de Louisiana, Mississipi e Flórida registraram a maior proporção de casos novos da doença. As contaminações giram em torno de 54 mil por dia, depois de atingir 75 mil por dia em 16 de julho.

Notícias