PUBLICIDADE
Topo

Marrocos isola cidade de Tânger devido a focos de Covid-19

13/07/2020 12h51

Rabat, 13 jul (EFE).- O Ministério do Interior de Marrocos anunciou nesta segunda-feira o isolamento da cidade de Tânger, que tem um milhão de habitantes, a partir do meio-dia, após o surgimento de vários focos de Covid-19.

O governo já havia anunciado na noite passada a volta de "vários bairros" de Tânger ao confinamento, mas nesta manhã emitiu um comunicado para explicar que a medida valerá para toda a cidade. Tânger é agora a maior cidade isolada do país.

A medida inclui a suspensão do transporte público (ônibus e trens) com origem e destino em Tânger, e todo o deslocamento dentro da cidade está submetido a "uma autorização excepcional concedida pelas autoridades locais".

Imagens da cidade mostram caminhões públicos transportando grandes blocos de concreto que depois foram colocados em algumas das principais avenidas da cidade para evitar o tráfego rodoviário.

A região de Tânger concentra atualmente quase 20% dos casos do coronavírus SARS-CoV-2 no Marrocos, sendo superada apenas por Casablanca (a região mais populosa do país). O surto dos últimos dias não aparece nos números oficiais, que mostram apenas 61 novos casos entre sábado e domingo.

Esta não é a primeira cidade a ser isolada por surtos de Covid-19, o mesmo já aconteceu em Safi - de cerca de 300 mil habitantes, no sul do país - mas a importância de Tânger é maior devido à população e por ser a principal porta de entrada para o país a partir do norte.

O comunicado não especifica o que está acontecendo com o porto de Tânger Med, que fica a cerca de 50 quilómetros da cidade e receberá navios de passageiros de Sète (França) e Gênova (Itália) a partir do dia 15.

No entanto, duas partidas de Tanger Med para Algeciras, na Espanha, estão programadas para esta semana, mas apenas no sentido ida e limitadas aos espanhóis e residentes do país europeu.

O governo marroquino tinha começado a implementar várias medidas para reduzir o número de casos de coronavírus. Até o momento, o país já registrou 15.821 casos, dos quais 253 pessoas morreram e 12.676 se curaram.

Notícias