PUBLICIDADE
Topo

Júlio Lancellotti diz que fala de Bia Doria representa o que muitos pensam

Padre Júlio Lancellotti no Papo de Segunda - Reprodução/vídeo
Padre Júlio Lancellotti no Papo de Segunda Imagem: Reprodução/vídeo
do UOL

Colaboração para o UOL

13/07/2020 23h47

Durante o "Papo de Segunda" de ontem, na GNT, o Padre Júlio Lancellotti comentou a fala de Bia Doria em que exclamou que não se deve doar alimentos a moradores de rua. Segundo o sacerdote, a frase dita pela primeira-dama do estado de São Paulo representa o pensamento de muitas pessoas, infelizmente.

"O que espanta nessa declaração não é tanto a declaração de uma pessoa, mas uma pessoa que faz a declaração de muita gente que pensa assim e olha para a população de rua com preconceito, discriminação e certo apartheid", disse o padre.

No início de julho, Bia Doria disse em um vídeo para a socialite Val Marchiori que não se deve doar marmitas para moradores de rua porque "as pessoas gostam de ficar na rua" e elas "têm que se conscientizar e sair dessa situação".

O vídeo viralizou nas redes sociais e se tornou um dos assuntos mais comentados da semana. Sobre a afirmação polêmica, Lancellotti lamentou: "Esse pensamento é comum. Ele pode não ser geral, mas é bastante comum".

Lancellotti, que há mais de 30 anos se dedica a trabalhos sociais para amparar moradores de rua, explicou que eles fazem parte de uma população invisível em determinados momentos, mas "se eles estão na sua porta, na frente de um comércio ou querendo entrar no shopping, são visíveis e incomodam".

"O mais triste é que eles são indesejados. Ninguém diz: 'que bom que você chegou', 'estava com saudade', ou 'onde você estava?". Ninguém se importa com eles. Só se importam se eles estiverem incomodando", falou o padre, e completou: "A nossa política é higienista, violenta e infelizmente a polícia militar tem sido extremamente truculenta com a população de rua".

O "Papo de Segunda" é exibido às segundas-feiras, às 22h30, no canal GNT.

Notícias