PUBLICIDADE
Topo

Chile continua a melhorar, e inicia desconfinamento em algumas regiões

13/07/2020 21h13

Santiago (Chile), 13 jul (EFE).- A pandemia no Chile continua a mostrar sinais de melhora, com 2.616 novos casos e 45 mortes por Covid-19 confirmados nas últimas 24 horas, enquanto as regiões sulistas de Aysén e Los Ríos iniciam um desconfinamento gradual.

"A melhora continua. Há uma queda nos últimos sete dias de 15% de novos casos, e de 35% nos últimos 14 dias", disse o ministro da Saúde, Enrique Paris.

O Chile chegou a 317.657 infectados e 7.024 mortes confirmadas por exames PCR, às quais devem ser somadas 3.484 mortes "prováveis", que ainda não foram examinadas, elevando o total para mais de 10.500 óbitos.

Nas últimas 24 horas foram realizados 17.467 testes, e a taxa positiva (porcentagem de pessoas que testaram positivo para o vírus entre todas as testadas) foi de 15%, número que está longe dos 40% registados em junho, nos meses mais críticos da pandemia, explicou o ministro.

As regiões de Aysén e Los Ríos, com quase nenhuma infecção, também começaram um retorno gradual à normalidade nesta segunda-feira, com cinemas, teatros, restaurantes e cafés autorizados a funcionar com 25% da capacidade.

Também já é possível agendar cirurgias, e os eventos esportivos podem ser realizados para até dez pessoas em ambientes fechados e 50 em espaços abertos. Além disso, todos os adultos com mais de 75 anos serão autorizados a sair diariamente.

"Começamos, passo a passo, o desconfinamento de duas regiões do país, mas devemos reforçar a responsabilidade individual", advertiu o ministro, que não quis dar datas para uma possível reabertura em Santiago, cujos 7 milhões de habitantes completarão nove semanas em quarentena na sexta-feira.

As autoridades anunciaram a volta aos treinos de alguns grupos de esportes, como jogadores de futebol e atletas de elite, a partir de quarta-feira nas regiões ainda confinadas. EFE

mmm/vnm

Notícias