PUBLICIDADE
Topo

Vídeo de circuito de segurança flagra 3 agressores batendo em médica no RJ

do UOL

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

02/06/2020 21h58

Resumo da notícia

  • Imagens mostram vítima levando um tapa no rosto e puxões nos cabelos
  • Moradores irão fazer uma caminhada até o local das agressões
  • "Vieram pra me matar", desabafou médica após prestar depoimento

Câmera de um circuito de segurança flagrou três agressores atacando a médica anestesista Ticyana Azambuja, 35, espancada no último sábado (30) por frequentadores de uma festa clandestina no Grajaú, zona norte do Rio. As imagens mostram o momento em que ela é carregada por um homem nas costas e agredida por outras duas pessoas.

O UOL já divulgou uma sequência de fotos feitas por uma moradora pela janela do seu apartamento, em outro flagrante do espancamento. A vítima, que atua na linha de frente no combate ao coronavírus em três hospitais do Rio, sofreu fratura no joelho esquerdo e lesões nas duas mãos, pisoteadas pelos agressores. "Vieram pra me matar", desabafou ela após prestar depoimento ontem na delegacia.

O vídeo de 15 segundos foi publicado no Instagram pelo perfil Grajaú Rio, que divulga notícias do bairro na rede social. Nas imagens captadas pela câmera de segurança, um homem se aproxima por trás enquanto ela é carregada por um dos frequentadores da festa e dá um tapa no seu rosto.

Ele para de agredi-la porque deixa um objeto que aparenta ser um celular cair no chão e se abaixa para pegá-lo. Em seguida, uma mulher a agarra pelos cabelos, puxando-a para baixo. Um terceiro homem caminha ao lado dos agressores, acompanhando a cena.

Nas fotos, a mesma mulher que agride Ticyana aparece abraçada no policial militar Luiz Eduardo dos Santos Salgueiro, que teve o retrovisor e o vidro traseiro do seu carro, um Mini Cooper ano 2014 (avaliado em cerca de R$ 100 mil), quebrados pela médica.

A anestesista o acusa de ter pedido R$ 6.800 pelos danos sem que fosse feito qualquer tipo de registro. Antes disso, ela tinha tocado a campainha da casa onde acontecia a festa para pedir que diminuíssem o som. Como resposta, ouviu um palavrão.

As festas clandestinas se intensificaram no local em meio à pandemia, segundo relatam moradores da rua onde ocorreu o espancamento. O caso gerou comoção no Grajaú. Amanhã (3) à tarde, manifestantes farão uma caminhada até o local das agressões para protestar.

O caso está sendo investigado pela 20ª DP (Vila Isabel). Com base nas imagens obtidas pela investigação, a Polícia Civil do Rio já identificou os agressores e abriu inquérito pelo crime de lesão corporal. A reportagem do UOL não conseguiu localizar os agressores que aparecem no vídeo.

Fotos registram as agressões sofridas pela médica Ticyana Azambuja

Notícias