PUBLICIDADE
Topo

Governo do DF reabre parques e igrejas, mas impõe restrições

O governador Ibaneis Rocha afirmou que o sistema de saúde do DF mantém sua capacidade de atendimento - FáTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
O governador Ibaneis Rocha afirmou que o sistema de saúde do DF mantém sua capacidade de atendimento Imagem: FáTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
do UOL

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

30/05/2020 14h34Atualizada em 30/05/2020 16h19

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), publicou hoje um decreto que autoriza a reabertura de parques públicos e igrejas a partir da próxima quarta-feira (3). Os parques atualmente estão fechados e os templos estão impedidos de realizar cerimônias com a presença de público como forma de prevenção à transmissão do novo coronavírus.

O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial do DF. O documento impõe regras para a realização de cerimônias religiosas e para o acesso aos parques, com o objetivo de manter um mínimo de distanciamento social.

Veja as principais regras para cultos e missas:

  • Espaço mínimo de 1,5 metro entre as pessoas.
  • Manter fileiras desocupadas de assentos.
  • Proibição de acesso a idosos com mais de 60 anos e crianças com menos de 12 anos.
  • Utilização de máscaras e higienização das mãos na entrada do templo.

Essas são as principais regras para os parques:

  • Funcionamento entre 6h e 21h.
  • Proibição de comércio no interior do parque.
  • Uso de máscara pelos frequentadores.
  • Interdição de banheiros, bebedouros e equipamentos de ginástica.

O governador autorizou a reabertura de 18 parques públicos do DF, entre eles o Parque da Cidade, equipamento localizado na região central de Brasília.

Em entrevista na manhã de hoje, Ibaneis reforçou que permanece a orientação para "só sair de casa quando for necessário", mas disse que o DF manterá o planejamento de ir retomando gradualmente as atividades.

O governo do Distrito Federal suspendeu a maior parte das atividades em março e começou a reabertura da economia nas últimas semanas.

"O que nós temos visto é que as pessoas estão naturalmente saindo às ruas, então é muito melhor fazer isso de uma forma controlada", disse Ibaneis.

"Lembrando sempre que qualquer excesso da população... eu tenho, e me foi dado pelas urnas e pelo Supremo Tribunal Federal, o poder de retroagir qualquer medida. Eu não quero fazer isso. Acho que se a conscientização for feita, nós temos todas as condições de manter a reabertura", afirmou o governador.

Segundo Ibaneis, hoje o sistema de saúde do Distrito Federal possui capacidade de atender à população, e a retomada gradual de algumas atividades nas últimas semanas não provocou uma aceleração no número de casos da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

O pico no número de casos é previsto pelas autoridades do DF para julho. Ibaneis afirmou hoje que a retomada das aulas deve ocorrer somente em agosto.

O Distrito Federal registra 8.722 casos confirmados da doença e 154 mortes.

Avanço do coronavírus

Essa foi a semana com o maior número de óbitos reportados por dia em decorrência da covid-19 no país. No total, foram notificadas 6.830 mortes por coronavírus nos últimos sete dias, entre 23 e 29 de maio.

Até ontem, o Brasil acumulava 27.878 mortes no total, ultrapassando a Espanha e se tornando o quinto país em número de óbitos, segundo ranking da Universidade Johns Hopkins.

O surto do novo coronavírus se espalhou por todas as regiões do país e chegou a 70,7% dos municípios do Brasil, com casos de covid-19 confirmados em quase 4 mil municípios.

Notícias