PUBLICIDADE
Topo

EUA pedem "frente forte" contra o Irã e acusam país de negar o Holocausto

23/01/2020 21h05

Jerusalém, 23 jan (EFE).- O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, pediu nesta quinta-feira a construção de uma frente forte contra o Irã, país acusado por ele de ser o único que nega o Holocausto e que ameaça "apagar Israel do mapa".

Pence destacou hoje, no Quinto Fórum Mundial do Holocausto, o compromisso do governo dos Estados Unidos na luta contra o antissemitismo e os vínculos do país com Israel.

O evento, que reuniu mais de 40 líderes mundiais, celebra o 75º aniversário do fim do campo de extermínio de Auschwitz, criado pelos nazistas na Segunda Guerra.

"Hoje reunimos quase 50 países em Jerusalém para dizer com uma só voz: nunca mais", afirmou o vice-presidente americano, que lembrou o apoio dos EUA a Israel desde a fundação do país em 1948.

O vice-presidente dos EUA também afirmou que todos devem ter a "solene obrigação" de lembrar o que ocorreu em Auschwitz e não permitir que a memória daqueles que morreram no Holocausto seja esquecida.

Já o presidente da Rússia, Vladimir Putin, destacou o papel da União Soviética na luta contra o nazismo e falou sobre a contribuição do antigo regime para pôr fim ao "assassinato sistemático de judeus", o que ele disse considerar como "uma das páginas mais obscuras da história moderna".

O presidente da França, Emmanuel Macron, elogiou o fato de muitos países terem decidido participar do evento, especialmente os europeus, que lutaram em lados diferentes durante a Segunda Guerra Mundial.

"Poder nos entender, nunca esquecer, jamais nos dividir: essa também é uma lição", afirmou.

Também presente ao evento, o presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, se apresentou com a "pesada carga história de culpa" e afirmou que "gostaria de poder dizer que os alemães aprenderam com a história".

O príncipe Charlie, do Reino Unido, foi outro líder internacional a se pronunciar no evento, fazendo um discurso mais humano e menos político, no qual pediu mais tolerância e respeito em todo o mundo.

Notícias