PUBLICIDADE
Topo

Brasil ganha seu 33º partido: Unidade Popular é de esquerda e socialista

Novo partido já poderá lançar candidaturas para as eleições de 2020, quando serão escolhidos prefeitos e vereadores - Reprodução/Facebook
Novo partido já poderá lançar candidaturas para as eleições de 2020, quando serão escolhidos prefeitos e vereadores Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

10/12/2019 21h04Atualizada em 10/12/2019 21h19

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou hoje a criação do partido Unidade Popular (UP), que será a 33ª legenda em funcionamento no país.

O partido terá atuação à esquerda no campo político e defende os ideais socialistas. O número de urna da Unidade Popular será o 80.

A nova agremiação já poderá lançar candidaturas para disputar as eleições de 2020, quando serão eleitos prefeitos e vereadores em todo o País.

O presidente nacional da UP, Leonardo Péricles, afirma que o partido conta com a mobilização popular para ter sucesso nas eleições.

"Quem domina o Brasil é menos de 1% da população, no entanto impõe seus interesses. Nós achamos que nós temos que reverter essa situação. Esse 1% sempre teve privilégios. Está na hora da maioria ter privilégios no Brasil, ela nunca teve, está na hora de ter", diz Péricles.

"Esse povo preto, pobre, que está sofrendo nas periferias, as mulheres, os camponeses, os povos tradicionais, os indígenas, está na hora desses serem poder. A maioria nunca foi poder no Brasil, está na hora de ser com a unidade popular", afirma o dirigente.

Sobre o perfil político do novo partido, Péricles afirma que a UP defende os ideais socialistas e diz que o partido recebeu grande apoio popular na fase de coleta de assinaturas para a sua criação.

"É um partido que se propõe a superar o capitalismo. Só que a gente entende que para ser um partido revolucionário que luta pelo socialismo nós não precisamos ser estreitos, nós precisamos ser amplos", diz.

"É uma mentira dizer que o povo não quer saber de poder popular, de socialismo. Pelo contrário, porque nós coletamos mais de 1,2 milhão de assinaturas falando de socialismo, falando de luta popular, falando de poder popular", afirma o presidente da UP.

Para criar um novo partido político, a legislação eleitoral exige uma lista com assinaturas de apoio de eleitores em número equivalente a 0,5% do total de votos válidos na última eleição para a Câmara dos Deputados. Hoje esse número é de 491.967 apoiadores, que não podem ter filiação partidária prévia e precisam estar divididos em pelo menos nove estados.

Atualmente há 75 pedidos de registro partidário tramitando no TSE. Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou a intenção de criar o partido Aliança pelo Brasil. A Aliança pelo Brasil ainda não deu entrada no TSE com o pedido de registro.

Notícias