Topo

Pesquisadores recriam rosto de guerreira Viking que morreu há mil anos

do UOL

Do UOL, em São Paulo

18/11/2019 22h35Atualizada em 22/11/2019 20h15

Pesquisadores reconstruíram o rosto de uma guerreira Viking que morreu há mais de mil anos. A mulher foi enterrada com uma coleção de armas e teve a face recriada para o documentário Viking Warrior Womann, do canal de TV National Geographic, que irá estrear nos Estados Unidos em dezembro.

Cientistas britânicos usaram tecnologia de ponta de reconhecimento facial, baseado em um esqueleto encontrado em um cemitério viking na Noruega.

Reprodução/National Geographic
Imagem: Reprodução/National Geographic

"Estou tão empolgado porque esse rosto não é visto há mil anos... De repente, ela se tornou real", disse a arqueóloga Ella Al-Shamahi, de acordo com o jornal britânico The Guardian.

Além de ser enterrada com um belo arsenal de armas como flechas, espada, lança e machado, ela também sofreu um ferimento na cabeça, provido de uma espada. Essa é uma das evidências que mulheres também iam para o campo de batalha.

A especialista acredita que essa é "a primeira evidência encontrada de uma mulher viking com ferimento de batalha".

De acordo com responsáveis pelo projeto, o rosto foi construído anatomicamente, a partir dos músculos e camadas da pele. "A reconstrução resultante nunca é 100% precisa, mas é suficiente para gerar reconhecimento de alguém que os conhecia bem na vida real", disse Caroline Erolin, professora da Universidade de Dundee no Centro de Anatomia e Identificação Humana.

Notícias