Topo

PF faz buscas contra suspeitos de crimes ambientais na Amazônia

1.ago.2016 - Nuvem de fumaça proveniente de queimada cobre a floresta em Lábrea, Amazonas - Rogério Assis/Greenpeace
1.ago.2016 - Nuvem de fumaça proveniente de queimada cobre a floresta em Lábrea, Amazonas Imagem: Rogério Assis/Greenpeace

Pepita Ortega

Em São Paulo

22/10/2019 13h43

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje em Novo Progresso, no Pará, a Operação Pacto de Fogo que visa colher novas provas em investigação sobre associação criminosa suspeita de praticar crimes ambientais em reservas e Unidades de Conservação Federais na Amazônia.

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em residências e estabelecimentos ligados aos suspeitos. O objetivo é alcançar "novos elementos de informação sobre os crimes em apuração".

As investigações tiveram início a partir da divulgação, pela imprensa, de que fazendeiros e produtores rurais da região de Novo Progresso teriam combinado a execução do chamado "Dia do Fogo". Em 10 de agosto seriam iniciados incêndios em diversas localidades, inclusive Unidades de Conservação Federais na região.

De acordo com a comunicação social da PF, a operação recebeu o nome "Pacto de Fogo" ante a divulgação pela imprensa local e nacional de que diversas pessoas teriam combinado, em grupos de aplicativos de mensagem, a data para as ações criminosas.

Notícias