Topo

No comando do PSL, Eduardo Bolsonaro troca membros de comissões e 13 vices

Maandel Ngan - 30.ago.19/AFP
Imagem: Maandel Ngan - 30.ago.19/AFP
do UOL

Guilherme Mazieiro*

Do UOL, em Brasília

22/10/2019 12h32Atualizada em 22/10/2019 16h59

O novo líder do PSL na Câmara, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) utilizou suas atribuições para ganhar espaço na Câmara. Além da troca de 13 vice-líderes, o parlamentar mexeu na composição da Comissão de Constituição e Controle (CCJ), onde trocou quatro deputados.

Desafeto de Eduardo, Júnior Bozzella (PSL-SP) foi tirado da vaga de suplente da CCJ, a mais importante da Câmara. Outros três nomes entraram na suplência, Chris Tonietto (PSL-RJ), Philippe de Orleans e Bragança (PSL-RJ) e Sanderson (PSL-RS). Com 53 deputados na Câmara, o PSL tem sete titulares e outros sete suplentes na comissão. O colegiado é composto por 66 nomes titulares e 66 suplentes e é por onde passam todos os projetos da Câmara.

Os vices nomeados são da ala mais próxima ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). O primeiro vice-líder é Filipe Barros (PSL-PR). Os outros são Sanderson (RS), Carla Zambelli (SP), General Girão (CE), Márcio Labre (RJ), Alê Silva (MG), Daniel Silveira (RJ), Chris Tonietto (RJ), Junio Amaral (MG), Bibo Nunes (RS), Bia Kicis (DF), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (RJ) e Luiz Ovando (MS).

Ontem, em seu primeiro ato como novo líder do PSL na Câmara, Eduardo determinou o desligamento de todos os vice-líderes do partido na Casa. Eduardo foi confirmado no cargo na manhã de segunda após receber o apoio de 28 dos 53 parlamentares da legenda - a lista original tinha 29 nomes, mas um não foi aceito pela Secretaria Geral da Mesa.

*Com Estadão Conteúdo

Notícias