Topo

Carros são incendiados em Barcelona ??e manifestantes ignoram pedidos de calma

16/10/2019 20h15

Por Joan Faus, Jon Nazca e Marco Trujillo

BARCELONA, 16 Out (Reuters) - Manifestantes entraram em choque com a polícia na região espanhola da Catalunha nesta quarta-feira, com alguns incendiando carros no terceiro dia de distúrbios em resposta às condenações de líderes de uma tentativa fracassada de declarar um Estado independente.

As divisões sobre o movimento de secessão que assolou a Espanha em 2017 reapareceram nas ruas da principal cidade da região, Barcelona, desde que o Supremo Tribunal da Espanha condenou nove políticos e ativistas a até 13 anos de prisão.

Apesar dos pedidos de calma do governo regional, os manifestantes bloquearam vias e linhas de trem durante o dia e, depois do anoitecer, atearam fogo a carros. A força policial regional Mossos disse que ácido foi jogado contra os policiais.

Em alguns lugares, a polícia fez acusações contra manifestantes e disparou balas de borracha, disseram testemunhas da Reuters.

O primeiro-ministro interino da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou que o governo agirá de forma firme e proporcional, e em conjunto com outros partidos políticos.

"O povo catalão e toda a sociedade espanhola devem saber que o governo está considerando todos os cenários", disse Sánchez em entrevista coletiva em Madri.

Ele acrescentou que o governo criou uma comissão especial, incluindo a agência nacional de inteligência, para aconselhá-lo sobre como gerenciar a situação.

Sánchez vai liderar seu Partido Socialista na segunda eleição da Espanha este ano em 10 de novembro, sob pressão de partidos da direita para ser mais duro com a Catalunha e assumir o controle das forças de segurança da região.

"Sánchez precisa impor um regulamento direto à Catalunha", disse Albert Rivera, líder do partido liberal Ciudadanos.

Quim Torra, líder do Parlamento regional catalão, participou de uma manifestação na quarta-feira que bloqueou uma estrada perto do reduto separatista de Girona. "A violência não nos representa", escreveu ele no Twitter.

O chefe de assuntos internos da Catalunha, Miquel Buch, disse em entrevista coletiva: "A defesa da liberdade não exige o lançamento de objetos duros contra a polícia".

Vários milhares de pessoas, muitas delas jovens, se reuniram ao pôr do sol ao longo de uma ampla avenida no centro de Barcelona, ​​agitando bandeiras pró-independência e jogando papel no ar.

Notícias