Topo

Polícia crê em feminicídio ou vingança em morte de mulher ao comprar fralda

Aline Silva Dantas sumiu de casa depois de ir à farmácia comprar fraldas para a filha - Reprodução
Aline Silva Dantas sumiu de casa depois de ir à farmácia comprar fraldas para a filha Imagem: Reprodução
do UOL

Wagner Carvalho

Colaboração para o UOL, em Bauru (SP)

18/09/2019 00h08

A morte de Aline Silva Dantas, 19 anos, segue sem conclusão. A moradora de Alumínio, 80 km de São Paulo, que saiu no domingo (08) para buscar fraldas para a filha de 1 ano e nove meses, foi encontrada morta na quarta-feira (11) em área de mata com o corpo parcialmente queimado.

Nesta terça-feira, dez dias após o desaparecimento da jovem, a delegada Luciane Bachir, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba (SP), informou que passou o final de semana analisando novas imagens flagradas pela câmera de segurança de uma casa, onde a jovem é vista caminhando pela trilha na mata. A delegada acredita que a motivação para o crime seja feminicídio ou vingança e descartou um crime de oportunidade.

"Dá pra ver a Aline passando, o relógio marca 16h50, logo em seguida, menos de 30 segundos depois, um homem vestido de preto é flagrado pelas imagens andando em um ritmo mais acelerado", revela um dos integrantes da equipe de investigação. As únicas imagens disponíveis que a polícia possuía até então mostravam a jovem na farmácia onde foi para comprar fraldas.

O corpo de Aline foi encontrado a cerca de 150 metros dessa mesma trilha mata adentro. Até agora, foram colhidos depoimentos de 20 pessoas. O marido e a sogra de Aline estão fora da cidade, com autorização da Justiça: estão na casa de parentes, onde cuidam da bebê do casal.

A delegada afirmou que tem recebido diversas denúncias anônimas, algumas estão descartadas, mas outras estão sendo averiguadas e podem ajudar a solucionar o caso. Nos próximos dias, os exames feitos nas roupas e sob as unhas de Aline devem dar outro rumo às investigações. Os exames também podem apontar se a jovem sofreu violência sexual antes de morrer ou não. O corpo foi encontrado de barriga para cima, sem roupas e com marcas de esganadura no pescoço.

A população de Alumínio aguarda o desfecho do caso. No domingo (15), uma caminhada com pessoas usando branco foi organizada — elas percorreram as ruas por onde Aline Dantas passou minutos antes de desaparecer.

Casos de feminicídio no país crescem 4%

UOL Notícias

Mais Notícias