Topo

Neoenergia lançará oferta de ações na bolsa de São Paulo no início de julho

2019-05-23T21:37:00

23/05/2019 21h37

Capanema (PR), 23 mai (EFE).- A Neoenergia, segunda maior distribuidora de energia do Brasil e controlada pela espanhola Iberdrola, lançará sua oferta de ações na Bolsa de Valores de São Paulo "nos primeiros dias" de julho, segundo confirmou nesta quinta-feira o presidente do grupo espanhol, Ignacio Galán.

Durante uma visita ao Brasil para a inauguração de usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu, em Capanema, no Paraná, Galán explicou que, segundo o calendário previsto, "ao longo de todo o mês de junho serão feitos todos os 'road shows' (apresentações) e serão fixados os preços e todas as condições".

Antes da sua chegada à bolsa, a filial brasileira da Iberdrola prepara uma oferta pública de distribuição de R$ 1,25 bilhão em debêntures, segundo prospecto divulgado nesta terça-feira.

A Neonergia detalhou que serão emitidas e oferecidas inicialmente 1.250.000 debêntures, de R$ 1.000 cada uma, mas poderá disponibilizar um lote adicional de 250.000, razão pela qual a emissão pode alcançar um total de R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o prospeto da oferta, a emissão será realizada em duas séries, a primeira com vencimento em 10 anos (15 de junho de 2029) e a segunda com vencimento em 14 anos (15 de junho de 2033).

A empresa de energia esclareceu que se trata da sua sexta emissão de papéis para financiar suas operações no Brasil.

O lançamento de uma oferta pública de ações secundária na Bolsa de Valores de São Paulo foi aprovado no último dia 29 de abril pelos conselheiros representantes dos três sócios da Neoenergia: Iberdrola (52,45%), Banco do Brasil (9,34%) e o fundo de pensões Previ (38,21%).

Concretamente, foi solicitada a admissão para negociação dos títulos no segmento especial denominado Novo Mercado da B3, que é o mais exigente em São Paulo, de acordo com um comunicado da companhia.

A Iberdrola manterá o controle, enquanto o Banco do Brasil já avisou que se propõe a vender toda sua participação na companhia e a Previ porá à venda uma porcentagem mínima que, junto ao da entidade bancária, alcançará o total de 15% necessário para entrar no Novo Mercado da B3.

"(Os sócios) propuseram lançar um pacote, vender-nos um pacote, fundamentalmente o que tem Banco do Brasil por questões internas e um pequeno pacote também da Previ, para poder ter um 'free float' de cerca de 15%, que é uma pequeníssima parte", detalhou Galán.

A Neoenergia já tinha tentado lançar suas ações na bolsa em 2017, mas na época o preço oferecido pelos investidores não alcançou as expectativas dos acionistas brasileiros.

Através da Neoenergia, a Iberdrola se transformou em uma das duas maiores empresas de energia do Brasil em número de clientes, com 13,8 milhões de pontos de fornecimento.

A companhia, presente em 18 dos 27 estados brasileiros, conta com uma capacidade de produção no Brasil de mais de 3.700 MW, dos quais quase 86% são renováveis.

Na sua visita ao Paraná, Galán ressaltou que o compromisso da Iberdrola é continuar apostando no Brasil depois de 22 anos de presença no país. EFE

Mais Notícias