PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Capitão relata momentos de pânico em tombamento de navio com 4 mil carros

Navio Golden Ray tombou com aproximadamente 4.200 carros na Geórgia - Reprodução
Navio Golden Ray tombou com aproximadamente 4.200 carros na Geórgia Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL

Em São Paulo (SP)

02/08/2021 12h20

A perícia responsável por investigar o tombamento do navio Golden Ray, na costa do estado norte-americano da Geórgia na madrugada de 8 de setembro de 2019, divulgou cerca de 1.700 páginas da investigação, contendo evidências e transcrições de depoimentos de tripulantes da embarcação.

A operação pertencia à Hyundai Glovis, braço logístico da montadora sul-coreana. Estavam no navio - que até o presente momento ainda está em processo de extração do local após quase dois anos de seu naufrágio - cerca de 4.200 carros. Cerca de um terço da embarcação permanece no local.

Entre os depoimentos no documento está o do capitão Jonathan Tennant - que narra que se viu gritando ordens de manobra no escuro enquanto começava a avistar destroços da embarcação.

A tripulação diz ter temido morrer durante o tombamento do navio, no entanto preferiu não pular no oceano. Tennant falou às investigações dois dias após o acidente que "o naufrágio foi diferente de tudo que eu já experimentei em 21 anos aqui antes com um navio". O problema começou durante uma curva perto da Ilha St. Simons, quando o navio começou a tombar para o lado. Tennant disse ter ficado "absolutamente incrédulo".

"E o navio - em algum ponto daquela curva, percebi que não tinha mais (o controle do) navio. Sabe, instintivamente estava dando comandos que um piloto daria em circunstâncias malucas. Mas, no exato momento em que estava fazendo isso, não tenho certeza se entendi que o leme e a hélice já estavam fora da água. Porque em todas as áreas havia escuridão e alarmes. A única coisa que funcionou naquele navio após o naufrágio foram os alarmes."

De acordo com a Guarda Costeira dos EUA, a causa do acidente foi o posicionamento da carga. O carregamento instável deixou o centro de gravidade da embarcação muito alto, tornando o navio suscetível a um capotamento.

Tennant também narra a tentativa de resgatar membros da tripulação que por horas ficaram presos dentro da embarcação. Ele ainda ajudou a empurrar o navio com um rebocador para que seu casco não fosse para águas profundas e pudesse causar o afogamento das pessoas ainda presentes no local. No fim, ninguém morreu no naufrágio.

Tennant conta que escapou do navio por baixo de uma mangueira de incêndio, quando foi pego por um membro da Guarda Costeira. "Um cara grandão simplesmente me pegou como um brinquedo e me colocou no convés", disse.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Notícias