PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

México espera entregar 1º lote de AstraZeneca embalado no país no dia 24

14/05/2021 03h58

Cidade do México, 13 mai (EFE).- O governo do México espera ter o primeiro lote de vacinas AstraZeneca embalado em uma fábrica no país até o próximo dia 24, disse nesta quinta-feira o ministro da Fazenda e Crédito Público (SHCP), Arturo Herrera, durante um evento na capital.

A partir desse momento, segundo o ministro, o México receberá de 10 milhões a 12 milhões de doses do imunizante por mês e as embalará em território nacional.

"O primeiro lote será recebido em 24 de maio, e uma vez que isso aconteça, as vacinas serão produzidas aqui, o que nos dará um controle muito maior", declarou Herrera durante o congresso "México: O caminho para a recuperação econômica", organizado pela Sociedade das Américas/Conselho das Américas (AS/COA) na Cidade do México.

México e Argentina assinaram um acordo em agosto do ano passado para produzirem até 250 milhões de doses da vacina para o resto da América Latina, com o apoio da Fundação Carlos Slim e a promessa de iniciar a produção em abril.

Porém, a embalagem final foi atrasada na fábrica no Estado do México por procedimentos da Comissão Federal de Proteção contra Riscos Sanitários (Cofepris).

"custou um pouco para colocar a fábrica em funcionamento, na verdade já está em produção, e levará algumas semanas para testar o primeiro lote", reconheceu Herrera.

Com 79,4 milhões de doses comprometidas, a vacina da AstraZeneca é a principal aposta do governo mexicano, que já recebeu 4,6 milhões de unidades do imunizante, cerca de 2,7 milhões como empréstimo dos Estados Unidos em abril e o restante do Instituto Serum da Índia.

Além disso, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, revelou na última terça-feira que pediu à vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, um novo empréstimo de vacinas da AstraZeneca durante uma reunião que eles tiveram na sexta-feira passada.

O chefe do SHCP destacou que o México tem contratos para 250 milhões de vacinas de vários laboratórios, que serviriam 140 milhões de pessoas. Isso significa possuir 60% mais do que o necessário para os seus 92 milhões de pessoas ao longo de 60 anos. Dos imunizantes contratados, os da CanSino e da AstraZeneca são embalados em fábricas nacionais, e há um acordo para que o mesmo aconteça a partir de junho com os carregamentos de Sputnik V, da Rússia.

"O desafio pelo qual estamos passando agora é ter poucas vacinas e ter que ser muito seletivo sobre a quem aplicá-las, o que em algumas semanas se traduzirá em um desafio de ter poucos vacinadores", afirmou Herrera.

O governo forneceu até agora mais de 21,5 milhões de doses de vacina, com 9,6 milhões de pessoas totalmente imunizadas. A população alvo agora inclui trabalhadores da saúde e da educação, mulheres grávidas e adultos acima de 50 anos de idade.

Notícias