PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Cunha declara voto em Bolsonaro contra Lula em 2022: 'Não voto no PT'

Eduardo Cunha disse não acreditar em uma "terceira via" para disputar a eleição em 2022 - Tréplica Cristiano Mariz/VEJA
Eduardo Cunha disse não acreditar em uma 'terceira via' para disputar a eleição em 2022 Imagem: Tréplica Cristiano Mariz/VEJA
do UOL

Colaboração para o UOL

14/05/2021 21h55

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, disse hoje que, em uma possível disputa entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022, votaria no atual chefe do Poder Executivo. A decisão, para o ex-deputado, é "óbvia".

"Não vejo a possibilidade de outra opção crescer. Se tiver uma opção que for anti-PT que vá ganhar a eleição, eu posso até avaliar. Não voto no PT. Não quero o PT de volta para o país. Eu já vivi o PT, eu já conheci o PT e não concordo com as políticas do PT", disse, em uma entrevista exclusiva dada à CNN Brasil, a qual teve trechos divulgados na noite de hoje.

Para o ex-deputado, caso Lula saísse do Partido dos Trabalhadores e se filiasse a outra legenda, de centro, ganharia a eleição para a presidência em primeiro turno "sem sombra de dúvidas". Segundo Cunha, o que atrapalha o petista é o próprio partido.

Disse, também, não acreditar em uma "terceira via" para a eleição presidencial e citou políticos como Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Para ele, portanto, só existem chances para "o lado do PT" e o "lado do anti-PT".

CPI da Pandemia

Cunha opinou, ainda, sobre o andamento da CPI da Covid, que busca investigar possíveis omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19. Para ele, a Comissão "virou palanque para fazer a campanha eleitoral antecipada". No entanto, o ex-deputado disse não acreditar que resultará em uma mudança no processo eleitoral.

O ex-deputado falou também sobre a postura do senador e relator da CPI, Renan Calheiros, o qual julgou como "ativista político de palanque". "Tentando com isso, na minha opinião, tentar dar uma melhorada perante a imagem da opinião pública da biografia dele ou da percepção sobre ele", disse.

Notícias