PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

À espera de mais doses, Paraguai reduz idade de vacinação para 70 anos

10/05/2021 22h53

Assunção, 10 mai (EFE).- O Paraguai iniciou nesta segunda-feira uma nova fase do plano de vacinação, focando agora nas pessoas a partir de 70 anos, enquanto a maior parte da população adulta aguarda a chegada das doses que o governo comprou de diferentes laboratórios e países.

O país, com cerca de sete milhões de habitantes, atravessa uma segunda onda de casos de covid-19, com picos de contágios que superam a capacidade do sistema de saúde público.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 153.249 pessoas já receberam alguma dose de vacina. A expectativa é que o número aumente conforme diminui a idade dos vacinados em novas etapas da campanha de imunização.

Na semana passada, alguns dos centros de vacinação ficaram vazios devido à falta de comparecimento dos cidadãos pertencentes na faixa da terceira idade. O país ainda aguarda a chegada em massa de vacinas para poder acelerar a imunização, de modo a aplicar as doses em quatro milhões de pessoas.

A campanha transcorre com lentidão, inclusive atrás da maioria dos países da região, devido à paralisação dos envios, apesar de o governo presidido por Mario Abdo Benítez já ter anunciado as próximas remessas.

As autoridades sanitárias repetiram nas últimas semanas que ao longo da segunda quinzena de maio chegarão 134.400 doses da vacina da AstraZeneca, adquiridas através do consórcio Covax. Esse lote completará a primeira atribuição de 304.800 das 4,3 milhões de doses compradas através do consórcio.

O Ministério da Saúde aguarda também um milhão de doses da Sinopharm, obtidas com a ajuda dos Emirados Árabes, e conclui os procedimentos com a Pfizer para fechar a compra de mais um milhão.

O Paraguai ainda espera remessas da Covaxin da Índia, após a compra de dois milhões de doses, depois de receber 200 mil como doação do governo indiano.

No fim de semana passado, o Paraguai ultrapassou a marca de 7.000 mortes por complicações da covid-19, totalizando 7.130 óbitos desde março de 2020. Até o momento, o país confirmou 297.879 casos positivos.

Notícias