PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Restrições pouparam e diminuíram o caos em São Paulo, diz secretário

Secretário estadual de Saúde de São Paulo afirma que restrições das últimas semanas reduziram o caos no estado - Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
Secretário estadual de Saúde de São Paulo afirma que restrições das últimas semanas reduziram o caos no estado Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
do UOL

Colaboração para o UOL

12/04/2021 07h41

O estado de São Paulo voltou hoje para a fase vermelha do Plano São Paulo, que visa controlar a pandemia e a retomada econômica. Com a medida, a maioria das restrições de serviços presenciais e a proibição às aglomerações se mantêm, mas há algumas liberações. Atividades esportivas passam a ser liberadas sem público, lojas de material para construção poderão abrir e os consumidores poderão retirar comida e produtos em restaurantes e lojas.

Em entrevista à GloboNews na manhã de hoje, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que a onda roxa ajudou a reduzir o caos no estado diante da covid-19.

"Nós voltamos à fase vermelha hoje, que ainda é muito restrita e tem medidas muito acentuadas. Durante a onda roxa, nós diminuímos 4 milhões de pessoas circulando no estado. O número de ocupação de leitos caiu para 84%. Eram 13 mil internações, hoje são 12 mil e 100 pessoas. Os dados atuais mostram que houve uma boa redução. Não tenho dúvidas que as restrições pouparam e diminuíram o caos em São Paulo", disse.

Questionado sobre a falta de kit-intubação nos hospitais do estado, Gorinchteyn afirmou que a secretaria está priorizando a compra de mais equipamentos, mas a alta procura está dificultando o processo.

"São Paulo fez compras emergenciais do kit-intubação para não ter problema da falta do produto e estamos tentando ajudar todo o estado. Devido a alta aquisição desses produtos por todos os estados do país, foi difícil encontrar, mas não deixamos de entregar oxigênio para nenhum município", afirmou.

O secretário ainda comentou sobre o plano de imunização no estado: "11,47% pessoas já receberam uma dose da vacina em São Paulo. Até o dia 30 de abril vamos completar 6 milhões de doses aplicadas, mas precisamos de mais doses, para o progresso da vacinação avançar. Pretendemos vacinar todos até dezembro desse ano para proteger a nossa população e voltar ao nosso normal", completou.

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, disse em entrevista ao Bom Dia São Paulo que a expectativa é concluir a vacinação de idosos no estado em maio. Em seguida, o objetivo é imunizar as pessoas com comorbidades.

"Os portadores de doenças crônicas e comorbidades vão receber a vacina após todo o grupo acima de 60 anos estiver vacinado. A nossa expectativa, se o Ministério da Saúde não conseguir novas vacinas, é que na metade de maio tenhamos concluído a vacinação para idosos. No início de maio, na segunda semana, vamos concluir pelo menos a primeira dose para todos com mais de 60 anos. A partir daí vamos precisar de mais 60 dias para fazer vacinação de pessoas com doenças crônicas. Esse será o período em que efetivamente os números serão positivos tanto no que diz respeito a internação como a óbitos", informou.

Notícias