PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Turistas são presos em Fernando de Noronha por falsificarem testes de covid

Noronha voltou a ter casos após reabertura  - Reprodução/Instagram
Noronha voltou a ter casos após reabertura Imagem: Reprodução/Instagram
do UOL

Colaboração para o UOL, em Recife

30/10/2020 13h37

Quatro turistas do Tocantins foram presos preventivamente na noite de ontem, em Fernando de Noronha, por falsificarem exames da Covid-19 para terem acesso à ilha. Segundo a Polícia Civil, o grupo está sendo investigado por falsificação de documento, associação criminosa e crime contra a saúde pública.

Para entrar em Fernando de Noronha, o Governo de Pernambuco estabeleceu um protocolo, em que o viajante deve realizar um dia antes ou no dia da viagem o exame RT-PCR, que indica se a pessoa está com o vírus ativo no corpo. No caso dos turistas presos, eles chegaram a Noronha na quarta-feira (28), em um jato particular, e apresentaram resultados de exames que teriam sido coletados em 25 de outubro - o que já esbarra no protocolo.

Vindos de Araguaína (TO), os quatro turistas foram colocados em quarentena na pousada onde se hospedaram. Uma equipe foi até o local fazer a coleta de material deles, para poder executar o exame, mas o grupo se negou a fazer, sob a alegação de que aguardavam o resultado de um outro teste, feito no mesmo dia do embarque.

Segundo a administração de Fernando de Noronha, ontem os turistas apresentaram o resultado do suposto exame que teria sido feito no dia anterior, mas as datas no documento não batiam. Isso chamou a atenção da Superintendência de Saúde da ilha, que entrou em contato com o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Tocantins, onde fica o laboratório onde os testes foram realizados.

Em resposta, a equipe do laboratório do Tocantins informou que a data da coleta do exame foi adulterada pelo quarteto. O promotor Flávio Falcão, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou as prisões preventivas do quatro turistas - dois homens e duas mulheres.

Na noite dessa quinta, o juiz André Carneiro de Albuquerque Santana deferiu o pedido do MPPE e decretou a prisão preventiva dos turistas. Em nota, a Polícia Civil disse que a Polícia Militar "está apoiando na custódia dos presos".

Hoje o grupo deverá realizar um novo exame RT-PCR para, enfim, saber se estão infectados ou não.

Notícias