PUBLICIDADE
Topo

Polícia de SP diz que adolescente é dono de um dos perfis do Homem Pateta

do UOL

Alex Tajra e Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

14/07/2020 14h00Atualizada em 15/07/2020 12h36

A Polícia Civil de São Paulo realizou, na última sexta-feira (10), uma operação para cumprir mandado de busca e apreensão na casa de um adolescente de Sorocaba, interior do estado, que seria o criador de um perfil do chamado "Homem Pateta", que propõe desafios para crianças relacionados à automutilação e ao suicídio.

A informação da operação foi divulgada ontem pelas autoridades. Como os outros perfis que utilizam a imagem macabra de um homem vestido do personagem da Disney, a conta usava o nome fictício de "Jonathan Galindo".

Desde junho ao menos três estados registraram casos relacionados ao "Homem Pateta". As polícias de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, além de São Paulo, estão cientes e emitindo alertas sobre o caso, que envolve perfis que propõem os desafios para crianças.

O adolescente, que não teve nome e idade divulgados, confessou que enviava mensagens do perfil e disse que se tratava "apenas de uma brincadeira". A polícia apreendeu seu celular e uma perícia será realizada no aparelho. O inquérito corre na Delegacia Seccional de Sorocaba.

A investigação será enviada à Vara da Infância e Juventude e o adolescente poderá responder por atos infracionais (menores de 18 anos são inimputáveis no país) como ameaça e instigação ao suicídio.

"A investigação realizada demonstra que não existe anonimato na internet e reforça que a Polícia Civil é o filtro permanente da justiça e da legalidade", diz a polícia em nota.

O caso

O caso do "Homem Pateta" relembra outras situações que repercutiram muito na internet, como o caso da Baleia Azul ou da Boneca Momo. São perfis que instigam crianças e adolescentes, por meio de "desafios", à automutilação e, por vezes, ao pensamento suicida.

Em Santa Catarina, por exemplo, a situação veio à tona no programa "Conhecer Para Se Proteger", que tem como objetivo conscientizar pais, responsáveis, professores, crianças e adolescentes com palestras sobre os perigos da internet, conforme mostrado pelo UOL.

Os perfis com o nome Jonathan Galindo e uma imagem de um homem vestido de Pateta passaram a se multiplicar nas redes (hoje, há menos perfis e alguns de protesto contra a sua atuação, como o "jonathangalindoresistance"), em especial no Facebook e no Instagram.

Algumas dessas páginas têm conteúdo em português. Houve relatos de mães que viram seus filhos ou familiares crianças dialogando com perfis com a fotografia assustadora.

O homem que aparece nas fotografias seria James Fazzaro, cineasta, maquiador e dono da empresa JMF Filmworks. Há registros dele divulgando suas imagens fantasiado de Pateta em 2012 e 2014, e, até o momento, não há qualquer informação sobre sua relação com o caso.

Gary and Larry LeGeuff: wretched brothers

Posted by James Fazzaro on Sunday, March 23, 2014

Os primeiros casos dos supostos desafios suicidas ainda são pouco conhecidos, mas há especulações de que os desafios suicidas relacionados ao "Homem Pateta" aparecido pela primeira vez na Europa e no México em 2017.

No último dia 30, a Polícia Federal informou que está investigando o caso e orientou pais e mães para que mantenham proximidade aos filhos quando estes estiverem utilizando a internet.

Errata: o texto foi atualizado
O nome do programa da Polícia Civil de Santa Catarina sobre perigos da internet é "Conhecer Para Se Proteger"; a informação foi corrigida.

Notícias