PUBLICIDADE
Topo

Máscara será obrigatória nas lojas da Inglaterra no fim de julho

14/07/2020 11h56

Londres, 14 Jul 2020 (AFP) - Depois de muito debate, o governo britânico decidiu que o uso de máscaras contra a propagação do coronavírus nas lojas da Inglaterra será obrigatório a partir do fim de julho, uma medida que foi recebida como positiva, embora tardia.

Atualmente, a máscara é obrigatória apenas nos transportes públicos e recomendada nos espaços públicos fechados do país.

Nesta terça-feira, o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, anunciou no Parlamento o uso obrigatório de máscara nos estabelecimentos comerciais a partir de 24 de julho.

"Ao reabrir as lojas, devemos garantir a segurança de nossos comerciantes", disse. "O uso de máscara será obrigatório nas lojas e supermercados".

"Está comprovado que usar a máscara dá mais confiança às pessoas para voltar às compras", completou Hancock, cujo governo tenta reativar a economia britânica, muito afetada pelo confinamento contra a COVID-19, que deixou quase 45.000 mortos no país.

A medida entra em vigor dentro de 10 dias para "dar tempo às pessoas para se prepararem", disse o ministro do Meio Ambiente, George Eustice, ao canal Sky News.

Depois de alegar inicialmente que cobrir o rosto poderia ser contraproducente, por dar uma sensação de segurança e inibir o distanciamento, o Executivo conservador britânico está há semanas sob pressão para impor seu uso em ambientes fechados, especialmente por parte do prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan.

"A compreensão" sobre a utilidade das máscaras "evoluiu", argumentou Eustice.

"À medida que levantamos o confinamento e permitimos que mais lugares abram, também temos que revisar as medidas em vigor para limitar a transmissão do vírus e controlá-lo", acrescentou.

A obrigação não será aplicada a bares e restaurantes nem aos funcionários de supermercados.

Os infratores enfrentarão multas de até £ 100 (US$ 125), como já é o caso no transporte público.

O uso de máscara em lojas já é obrigatório na Escócia e em vários outros países europeus.

A desescalada decidida pelo governo Boris Johnson se aplica apenas à Inglaterra, já que as outras três nações que compõem o país estabelecem as próprias regras de desconfinamento.

Khan aplaudiu a "mudança de opinião" do governo, enfatizando, em entrevista também à BBC, que "essa pequena medida pode fazer uma grande diferença quando combinada com outras".

O British Retail Consortium, uma associação profissional do setor de varejo, também elogiou uma medida que traz "clareza", após uma série de "mensagens contraditórias" que tornava "realmente difícil as pessoas entenderem o que tinham de fazer".

mpa-acc/mar/tt/fp

Notícias