PUBLICIDADE
Topo

Brasil deve chegar a 1 milhão de casos em 20 de junho, indica projeção

Ala voltada para pacientes com coronavírus em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no hospital Gilberto Novaes, em Manaus - Michael Dantas - 20.mai.2020/AFP
Ala voltada para pacientes com coronavírus em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no hospital Gilberto Novaes, em Manaus Imagem: Michael Dantas - 20.mai.2020/AFP
do UOL

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 10h00

O Brasil deve chegar a 1 milhão de casos do novo coronavírus em pouco mais de duas semanas, indica uma plataforma estatística da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Com os atuais dados oficiais de novos casos, a projeção do Instituto de Informática da universidade gaúcha diz que a marca de 1 milhão de pessoas com a covid-19 deve ser atingida em 20 de junho. Na ocasião, o país também já deverá chegar perto das 50 mil mortes, segundo o cálculo.

O país ultrapassou a marca de 500 mil casos no último domingo (31), pouco mais de três meses depois da primeira notificação de covid-19 no Brasil. Agora, temos a perspectiva de somar a mesma quantidade em 20 dias.

Entre 25 e 31 de maio, o país registrou uma média de 21.662 casos por dia. No sábado (30), porém, a marca foi de 33.274, a maior marca diária no Brasil desde o início da pandemia.

Os números mostram que a pandemia ainda está em crescimento no país.

Segundo as projeções do Ministério da Saúde, o Brasil ainda está na fase de aceleração de casos. O pico deve chegar apenas por volta da metade de junho, justamente quando a plataforma da UFRGS estima 1 milhão de casos no país.

Resultados próximos

Na manhã da última sexta-feira (29), o UOL registrou as previsões da plataforma para os dias seguintes. A análise usava como base os números oficiais do dia anterior, 28 de maio.

Os resultados das previsões ficaram próximos do que foi anunciado posteriormente pelo Ministério da Saúde, como mostra o gráfico abaixo.

Quebra-cabeça

As projeções são feitas considerando os dados oficiais dos últimos sete dias, explica João Comba, professor titular do Instituto de Informática da UFRGS, que lidera o projeto. A plataforma foi uma iniciativa dele junto com alunos do instituto.

"O cálculo é refeito diariamente. A janela de 7 dias foi usada por ser um intervalo que, experimentalmente, julgamos gerar um resultado de crescimento mais próximo da realidade."

Para ele, a análise de dados é importante porque ela auxilia em decisões a respeito da pandemia, como a de governos sobre o momento de reabertura.

"A análise de dados permite trazer ingredientes adicionais neste complexo quebra-cabeça de entender a evolução da pandemia."

Além de projeções, a plataforma também faz comparações de similaridade. Segundo elas, a cidade de São Paulo estaria com um cenário semelhante ao do estado do Texas, nos Estados Unidos, na análise de casos, por exemplo.

Para Comba, os dados ajudam na análise de medidas a serem tomadas pelos governos. "Comparando regiões similares, pode-se tentar fazer relações entre características adicionais, como medidas de distanciamento social".

Mas nenhum governo procurou o professor até o momento para fazer uso dos dados produzidos pela plataforma, mas já teve parcerias hospitais de Porto Alegre, como o Moinhos de Vento e o de Clínicas, para usar dados e inteligência artificial no combate à covid-19. "Estamos à disposição para ajudar".

Notícias