PUBLICIDADE
Topo

Saúde dialoga sim com o tráfico, com a milícia, diz Mandetta

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, durante coletiva sobre atualizações de dados da covid-19 - EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, durante coletiva sobre atualizações de dados da covid-19 Imagem: EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Julia Lindner e André Borges

Brasília

08/04/2020 21h02

O governo federal prepara uma estratégia de combate ao novo coronavírus nas favelas brasileiras que buscará amparo de lideranças ligadas ao crime organizado. Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a pasta está disposta a dialogar com chefes do tráfico e de milícias para conseguir apoio às medidas de isolamento.

"A saúde dialoga, sim, com o tráfico, com a milícia, porque também são seres humanos e precisam colaborar, ajudar, participar. Então, neste momento, quando a gente faz esse tipo de colocação, a gente deixa claro que todo mundo vai colaborar (no combate à covid-19)", disse o ministro durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 8, no Palácio do Planalto.

Mandetta reconheceu que há dificuldade para implementar o plano de manejo das favelas e comunidades com exclusão, porque são regiões marcadas pela ausência do Estado. Outra preocupação das autoridades brasileiras é com as moradias, que muitas vezes enfrentam problemas como a falta de saneamento básico.

"Temos dificuldade, sim, em apresentar o plano de manejo das favelas ou das comunidades com exclusão. Hoje nós começamos o primeiro plano de manejo, não vou falar em qual comunidade será, para fazer um teste piloto porque ali você tem que entender a cultura, a dinâmica, ali a gente tem que entender que são áreas que muitas vezes o Estado está ausente, que quem manda é o tráfico", afirmou.

Notícias