PUBLICIDADE
Topo

Número de mortes por erupção na Nova Zelândia pode chegar a 16; polícia planeja missão para recuperar corpos

12/12/2019 09h47

Por Charlotte Greenfield e Jane Wardell

WHAKATANE/WELLINGTON (Reuters) - A polícia da Nova Zelândia está planejando realizar uma operação na Ilha Branca, na sexta-feira, para recuperar os corpos das pessoas que morreram na erupção vulcânica desta semana, depois que o saldo de mortes confirmadas subiu para oito.

Outras oito pessoas estão desaparecidas e são consideradas como provavelmente mortas, possivelemnte tendo sido soterradas pelas cinzas e os destroços da erupção de segunda-feira. Mais de 20 pessoas estão hospitalizadas, muitas com queimaduras graves, e sete outras foram transferidas para unidades de tratamento de queimaduras da Austrália.

"Agora posso confirmar que estamos finalizando um plano para recuperar os corpos de Whakaari/Ilha Branca amanhã de manhã", disse o vice-comissário de polícia John Tims em um comunicado emitido nesta quinta-feira, acrescentando que as famílias serão inteiradas sobre a operação.

Já o vice-comissário de polícia Mike Clement disse mais tarde em uma coletiva de imprensa que a missão é arriscada e que uma equipe será enviada ao raiar do dia na sexta-feira.

Seis corpos foram vistos, e haverá uma oportunidade "muito limitada" de procurar os outros dois, explicou. "Muita coisa tem que dar certo para isso funcionar".

O vulcão da Ilha Branca é "altamente volátil" e pode entrar em erupção novamente dentro de dias, disseram autoridades.

Não há sinais de vida na ilha desabitada.

"Agora estamos vivendo com uma sensação crescente de desespero para levar para casa aqueles que sabemos que estão lá e os que amamos", disse Judy Turner, prefeita de Whakatane, a cidade mais próxima do continente.

Notícias