Topo

PA: vereador fala em passar 1 mês na praia e favorecer mulher em Secretaria

do UOL

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

22/11/2019 18h39

O MP-PA (Ministério Público no Pará) anunciou hoje que investigará, junto com a Polícia Civil, um vereador de Portel (PA), a 265 km de Belém, que apareceu em vídeos com a mulher, também funcionária pública, sugerindo que passaria um mês na praia e não levaria faltas na Câmara Municipal.

Nas imagens, Emerson Lobato (sem partido) diz ainda que o desconto no salário também não seria aplicado à esposa dele que o acompanha, funcionária na Secretaria Municipal de Educação, e que a "desviaria' de função quando virasse vice-prefeito do município.

A abertura das investigações pelo MP e Polícia Civil aconteceu depois que os vídeos viralizaram nas redes sociais. O PRTB, legenda à qual estava filiado, decidiu pela expulsão do vereador. Portel é uma das 15 cidades mais pobres do Brasil.

Em um vídeo, o vereador aparece com a esposa em uma moto a caminho de uma praia, segundo comentário do próprio casal. Ambos estão sem capacete. Nele, a mulher, identificada pelo MP como Mírian Santos, conta que está "indo na praia fazer um vídeo" para mandar para familiares.

"Estou indo na praia fazer um vídeo para vocês. Olha aqui meu namorado, meu marido, meu amor, líder do governo. Olha minha cara de tristeza", diz ela, aos risos.

"Futuro vice-prefeito e tu sabes que eu vou te arrumar, vou desviar, de tirar de função porque eu conheço a lei e vou te colocar como diretora lá do centro", acrescenta o parlamentar.

No segundo vídeo, já na praia, o vereador é filmado pela esposa e sugere que passará um mês na praia sem levar falta.

"Essa praia maravilhosa. Ninguém é de ferro. Vamos passar um mês aqui e minha mulher não pega falta porque sou líder do governo e o prefeito precisa de mim. O diretor de lá me respeita. Dois meses aqui e nenhuma falta. Está vendo só? Agora se teu marido faltar, ele pega falta", comentou o vereador. "Choca essa praia. Está vendo só? Pensa que não vale a pena ser mulher do líder do governo, não? Ai, ai", completa a mulher dele.

O UOL entrou em contato por meio dos dois perfis disponíveis do vereador nas redes sociais, mandou mensagem e ligou no telefone do parlamentar através de um número fornecido pela própria secretaria da Câmara à reportagem. As ligações caíram na caixa postal e as mensagens no aplicativo de celular e nas redes sociais não foram visualizadas até a última atualização desta reportagem.

Vereador diz que tudo foi uma brincadeira com a cunhada

Após as cenas viralizarem, Emerson Lobato divulgou novo vídeo, desta vez para se retratar. Ele conta que o caso ocorreu em uma praia de Porto de Moz, município vizinho também do arquipélago da Ilha de Marajó, no Pará.

Emerson Lobato disse que estava fazendo uma brincadeira no vídeo e que tentam denegrir sua imagem - Reprodução/Facebook
Emerson Lobato disse que estava fazendo uma brincadeira no vídeo e que tentam denegrir sua imagem
Imagem: Reprodução/Facebook
O parlamentar argumentou que no momento fazia brincadeiras com uma cunhada no grupo de WhatsApp da família e que alguém "pegou e jogou nas redes sociais". Disse que estão tentando "denegrir" sua imagem.

O vereador ainda justificou a estadia em Porto de Moz para visitar a mãe, que, segundo ele, está doente. Ele não informou quanto tempo está na cidade nem quando retorna para Portel.

"Vim em Porto de Moz para ver a minha mãe, que está doente. Conheço o regimento interno da minha Câmara. Conheço a lei orgânica do meu município. Jamais eu passaria um mês fora sem levar falta. (...) Minha vida em Portel é sólida. Foi uma brincadeira que fiz com a minha cunhada. Jamais eu deixaria alguém ou faria alguém de trouxa, inclusive Portel. Sou o único vereador que se preocupa e desculpa pela brincadeira", se retratou.

Ao UOL, a Câmara Municipal de Portel informou que o vereador não compareceu às duas últimas sessões, ocorridas nos dias 14 e 21 de novembro, e que tomará as medidas cabíveis.

A Câmara de Portel tem 15 vereadores. Eles representam uma população de mais de 60 mil habitantes. A cidade está entre as 15 mais pobres do país. No Pará, é a quinta, conforme mostra o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais da metade da população vive com menos de um salário mínimo.

Folhas de pontos viram alvo do MP

De acordo com o Ministério Público, o caso é investigado pelo promotor de Justiça de Portel, Rodrigo Silva Vasconcelos. O procedimento solicitou à Câmara Municipal as atas das sessões e folhas de ponto do parlamentar.

"Foi encaminhado ofício à Câmara dos Vereadores solicitando cópias das atas das sessões, listas de presença e filmagens, bem como ofício à Semed [Secretaria Municipal de Educação] para saber a lotação da servidora Miriam Santos, o cargo exercido e que encaminhem a lista de presença do mês de novembro do corrente ano. Além disso, enviado ofício à Delegacia de Policia requisitando a instauração de inquérito policial para apurar eventual crime de falsidade ideológica, entre outros possíveis crimes", disse o MP, em nota.

A Polícia Civil do Pará confirmou ao UOL que já abriu o procedimento investigatório pelo crime de falsidade ideológica contra o vereador e que o caso está sob sigilo.

Notícias