Topo

Adobe lançará o software Illustrator para iPad após Photoshop

Mark Gurman e Nico Grant

22/10/2019 11h02

(Bloomberg) -- A Adobe Inc. escolheu o Illustrator como próximo grande aplicativo que irá colocar no iPad, em outro esforço da fabricante de software para criar uma versão móvel de seus produtos. A informação é de pessoas com conhecimento do plano.

A empresa sediada em San Jose, na Califórnia, fará uma apresentação prévia do Illustrator para iPad, o tablet da Apple, durante a conferência interna Max, em novembro, antes do lançamento em 2020, de acordo com as fontes, que pediram anonimato por não terem autorização para falar publicamente sobre a decisão. O Illustrador, usado por designers para artes gráficas digitais, seguiria o Photoshop, que estará disponível para iPad ainda este ano.

O Illustrator é um dos aplicativos mais populares do pacote de software Adobe Creative Cloud e sua versão para iPad teria muitos dos recursos disponíveis na versão para computadores.

"Não temos nenhuma novidade para compartilhar no momento", declarou uma porta-voz quando indagada sobre os planos da companhia.

A Adobe lançou recentemente diversos outros aplicativos para iPad ? incluindo Fresco e Premiere Rush ? que não têm tantos recursos como o Photoshop e o Illustrator. Pessoas que testaram o Photoshop para iPad criticaram a falta de elementos fundamentais presentes na versão tradicional, segundo reportagem veiculada pela Bloomberg News na semana passada.

Os novos aplicativos ressaltam o trabalho da Apple para posicionar o iPad como substituto do computador e a necessidade da Adobe de fornecer software aos consumidores em qualquer dispositivo. Fundada em 1982, a Adobe está adaptando seus principais aplicativos para aparelhos móveis, tentando garantir a liderança em software criativo em um momento em que os consumidores perdem o gosto por computadores. A missão da Adobe é dupla: satisfazer ilustradores profissionais e editores de fotografia e conquistar usuários amadores. A estratégia pode impulsionar o crescimento das vendas da unidade Creative Cloud, que se desaceleraram ao longo do último ano.

O plano da Adobe de colocar o iPad no centro da estratégia de abrangência de plataformas é outro sinal de que superou a fase contenciosa do relacionamento com a gigante de hardware com sede em Cupertino, Califórnia. A Apple tinha investido na Adobe, mas, em 2010, Steve Jobs criticou seu produto Flash Player para vídeos e jogos na internet, argumentando que trazia prejuízos em termos de duração da bateria dos dispositivos, privacidade e segurança. Nos últimos anos, a Adobe tem sido presença carimbada nos anúncios de produtos da Apple, sendo continuamente retratada como fabricante de software que tira proveito de novos dispositivos da companhia.

Repórteres da matéria original: Mark Gurman em San Francisco, mgurman1@bloomberg.net;Nico Grant San Francisco, ngrant20@bloomberg.net

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Notícias