Topo

Mais de 50 mil fiéis participam na Bahia de missa em homenagem à Santa Dulce

Fiéis católicos rezam durante a cerimônia de canonização de Santa Dulce na Arena Fonte Nova - Mauro Pimentel/AFP
Fiéis católicos rezam durante a cerimônia de canonização de Santa Dulce na Arena Fonte Nova
Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Em Salvador (BA)

20/10/2019 19h27

Mais de 50 mil fiéis se reuniram neste domingo em Salvador, na Bahia, para render a primeira homenagem no Brasil à Irmã Dulce, agora Santa Dulce dos Pobres, canonizada há uma semana no Vaticano pelo papa Francisco.

Os devotos começaram a chegar bem cedo à Arena Fonte Nova, onde foi realizada a cerimônia religiosa. Os portões estavam programados para abrir ao meio-dia, mas às 6h já havia muitos fiéis no local para garantir seu lugar.

A cerimônia começou com uma apresentação de bandas religiosas, que foi seguida por uma peça de teatro e música que narrou a história da santa, apresentada por mais de 700 atores entre crianças e adolescentes.

Também foi realizada uma procissão com a imagem de Nossa Senhora Aparecida e as relíquias de Irmã Dulce, conduzida por bispos, padres e autoridades religiosas, enquanto o povo se emocionava e cantava.

A missa em louvor à Santa Dulce dos Pobres foi celebrada pelo arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger, em um altar com a imagem da religiosa.

O silêncio e um clima de paz estiveram presentes no ato litúrgico, que foi acompanhado pelas luzes dos celulares dos fiéis.

Considerada a "Madre Teresa" dos brasileiros, Irmã Dulce é a primeira santa brasileira. No país, ela é muito popular pelo trabalho social realizado com os mais pobres e necessitados.

Além dos milagres atribuídos, a santa fundou vários hospitais de caridade e um sistema de apoio social que atende a cerca de 5 milhões de pessoas anualmente.

Santa Dulce dos Pobres nasceu em 1914 e morreu em 1992, aos 77 anos. Seu processo de canonização é o terceiro mais rápido da história recente da Igreja Católica, durando "apenas 27 anos".

Notícias