Topo

EUA estão mais preocupados com petróleo que pela guerra do Iêmen, acusa Irã

20/09/2019 09h36

Teerã, 20 set (EFE).- O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, destacou nesta sexta-feira os esforços de seu país nos últimos anos e acusou os Estados Unidos de estarem mais preocupados pelos ataques ao petróleo que pela guerra no Iêmen.

Zarif, como de habitual, recorreu ao Twitter para expôr "as iniciativas diplomáticas" levantadas recentemente pelo Irã na busca por uma solução para as crises regionais.

Isso inclui o Plano de Paz da Síria de 2013, o Plano de Paz do Iêmen de 2015, o Processo de Astana de 2017 e o Pacto Regional de Não Agressão proposto este ano.

Dessa maneira, Zarif respondeu ao comentário de ontem do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, de que seu país quer "uma solução pacífica" para a atual crise no Golfo Pérsico, assim como construir uma coalizão que "procura conseguir a paz".

Pompeo passou os últimos dois dias na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes Unidos, que coincidentemente anunciaram que estavam se juntando à coalizão que tenta formar os EUA para proteger a navegação no Golfo Pérsico e que isso é visto como uma iniciativa para pressionar ainda mais o Irã.

Durante sua viagem, ele coletou informações sobre os ataques do último final de semana contra usinas da companhia petrolífera saudita Aramco para avaliar a resposta dos EUA.

A Casa Branca estudará hoje opções militares contra o Irã, que alertou, por sua vez, que responderá em caso de ataque. EFE

Mais Notícias