Topo

Revista revela que Tabata pagou R$ 23 mil a namorado na campanha eleitoral

Agência Câmara
Imagem: Agência Câmara
do UOL

Do UOL, em São Paulo

20/07/2019 15h50Atualizada em 22/07/2019 08h09

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) pagou R$ 23.050 ao namorado com recursos recebidos durante a campanha eleitoral de 2018. A informação foi revelada hoje pela revista "Exame". A prática, como a própria publicação diz, não é considerada ilegal.

De acordo com a prestação de contas da parlamentar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o colombiano Daniel Alejandro Martínez García prestou serviços de análise estratégica à campanha da então candidata.

A assessoria de Tabata não deu mais detalhes sobre a atuação de Martínez. "A campanha de Tabata Amaral cumpriu as leis eleitorais na contratação de seus serviços e pessoas. Todas as informações são públicas e estão no portal do TSE", disse a assessoria por meio de nota enviada ao UOL.

A candidatura de Tabata contou com R$ 1,3 milhão em recursos em pouco menos de dois meses de campanha, sendo que o diretório nacional do PDT foi o maior doador, com um repasse de R$ 100.000.

Aliado elogia trabalho do namorado da deputada

No Facebook, o coordenador do movimento Acredito, Samuel Emílio Melo, saiu em defesa de Tabata e explicou o trabalho desenvolvido por Martínez. O Acredito trabalha pela renovação de lideranças na política.

"Fui voluntário na campanha da Tabata e acompanhei a sua jornada do dia em que ela tomou a corajosa decisão de se candidatar até o dia 7 de outubro de 2018. Durante esse período estive do lado do Daniel Martínez, responsável pelo levantamento e montagem estratégica de informações para planejamento de campanha, elaboração de banco de dados quanto a perfil dos bairros da capital e de cidades do Estado de São Paulo, e gestão do atendimento e mobilização de voluntários", afirmou Melo.

"Esse trabalho é facilmente mensurável, a ver pelos mais de mil voluntários mobilizados pela campanha da Tabata Amaral. (...) esse resultado merece inclusive se tornar um caso de estudo pelo sucesso na gestão de voluntários", acrescentou.

Tabata e Daniel se conheceram em 2013 em Harvard, nos Estados Unidos, onde estudaram, e começaram a namorar em 2016. Ela é formada em ciência política e astrofísica. Ele, de acordo com a "Exame", formou-se em ciências e filosofia.

Problemas com o PDT

Com 25 anos, Tabata é uma das deputadas mais jovens da Câmara e considerada um símbolo da renovação na política. Na última quarta-feira (17), o PDT suspendeu a parlamentar e outros sete deputados que votaram a favor da reforma da Previdência. O partido deve concluir os processos disciplinares em 60 dias.

Mais Notícias