Topo

Google diz que dará mais visibilidade a seus rivais após nova multa na Europa

2019-03-20T11:07:00

20/03/2019 11h07

Bruxelas, 20 mar (EFE).- O Google afirmou nesta quarta-feira que fará mudanças nos próximos meses para "dar mais visibilidade a seus concorrentes", após ser notificado pela Comissão Europeia, órgão executivo da União Europeia, que impôs uma nova multa por abuso de domínio, desta vez por conta dos anúncios de buscas.

"Nos próximos meses faremos mais atualizações para dar mais visibilidade aos concorrentes na Europa", indicou o vice-presidente sênior do Google para Assuntos Globais, Kent Walker, em comunicado enviado à Agência Efe.

A Comissão impôs hoje uma sanção de 1,49 bilhão de euros ao Google pelo uso "ilegal" de sua posição dominante no mercado de intermediação de anúncios de busca online, através de seu serviço AdSense for Search.

Walker insistiu que a companhia "sempre esteve de acordo que mercados sadios e pujantes interessam a todo o mundo".

"Já realizamos uma ampla gama de mudanças em nossos produtos para abordar as inquietações da Comissão", lembrou Walker, que também abriu as portas para novas modificações nos próximos "meses".

Em julho de 2018, a Comissão impôs uma multa de 4,343 bilhões de euros ao Google por utilizar seu sistema operacional Android para fortalecer a posição de domínio de seu motor de busca, a maior sanção por descumprir as normas de concorrência já imposta por Bruxelas.

Além disso, a Comissão impôs outra sanção ao Google em junho de 2017, de 2,424 bilhões de euros, por abuso de domínio com seu serviço Google Shopping.

No blog corporativo do Google, Walker escreveu hoje que a companhia vem abordando o funcionamento de seus produtos com a Comissão há uma década.

"Uma caraterística fundamental desses mercados abertos e competitivos - e dos produtos do Google - é a mudança permanente. A cada ano fazemos milhares de mudanças em nossos produtos, com base nos comentários de nossos colaboradores e usuários", comentou Walker.

O dirigente da companhia lembrou que também foram realizadas mudanças nos últimos anos no Google Shopping, no Android, nos aplicativos de dispositivos móveis e no AdSense for Search, "respondendo diretamente às preocupações manifestadas pela Comissão Europeia".

A Comissão limita a atividade ilegal do Google através do AdSense entre os anos de 2006 e 2016, ao considerar que a companhia impôs "cláusulas restritivas" em contratos com sites de terceiros que impediam que seus concorrentes colocassem nos mesmos seus próprios anúncios relacionados com as buscas. EFE

Mais Notícias