Topo

Galaxy Fold: Samsung lança seu primeiro celular dobrável

do UOL

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em San Francisco (EUA)*

2019-02-20T16:02:10

2019-02-25T14:46:54

20/02/2019 16h02Atualizada em 25/02/2019 14h46

O celular que todo mundo esperava finalmente chegou. A Samsung mostrou na tarde desta quarta-feira (20), em evento que ocorre simultaneamente em San Francisco (Estados Unidos) e Londres (Inglaterra), seu novo e inovador aparelho: o Galaxy Fold. É o primeiro smartphone dobrável da marca e um dos primeiros do mundo.

Ele começa a ser vendido em 26 de abril, por US$ 1.980 (R$ 7.702 na conversão direta sem impostos). O preço é bem alto, o dobro do último Note 9. Ou seja, provavelmente deve passar dos R$ 10 mil no Brasil. O iPhone XS Max custa US$ 1.099.

Gabriel Ribeiro/UOL
Galaxy Fold vem em quatro cores: preto, azul, cinza e verde Imagem: Gabriel Ribeiro/UOL

Mas é o preço da maior inovação em smartphones nos últimos anos. O celular dobrável era uma promessa da Samsung há anos, demorou oito anos para sair do papel. O modelo mistura a experiência do smartphone e do tablet. 

Dobre-se: Com Galaxy Fold, Samsung inaugura uma nova era dos smartphones

Leia mais

O celular ainda parece bem grosso e pesado quando fechado, mas é uma evolução gigante em relação ao protótipo --e não seria a primeira vez que um modelo surge grosso para depois ficar mais fino nos anos seguintes. A tela interna é infinita e promete uma experiência imersiva para o usuário. Já a tela da frente ainda parece rústica perto dos celulares atuais, com grandes bordas acima e abaixo da tela.

"Apesar do progresso que fizemos, o tamanho das nossas telas era limitado pelo tamanho dos nossos dispositivos. Até agora", disse Justin Denison, executivo da empresa que apresenta o evento:

É um smartphone, um tablet e uma câmera que cabem no seu bolso

O dobrável tem 4,6 polegadas de tela quando dobrado e 7,3 polegadas quando aberto, virá nas cores preto, prata, verde e azul e contará com seis câmeras. São duas baterias uma de cada lado do Galaxy Fold, que somam 4380 mAh. A Samsung equipou o Galaxy Fold com um chipset AP de última geração e 12 GB de RAM, além de tela AMOLED e sistema AKG com altofalantes estéreos para o entretenimento. Haverá versões LTE e 5G do Galaxy Fold. 

Gabriel Ribeiro/UOL
Galaxy Fold, novo celular dobrável da Samsung roda até 3 apps ao mesmo tempo Imagem: Gabriel Ribeiro/UOL

Tela dobrável

A tela interna não apenas se curva, ela dobra. "Dobrar é um movimento mais intuitivo e uma inovação mais difícil de entregar", diz a Samsung. Para conseguir isso, a empresa criou uma nova camada de polímero e fez uma tela 50% mais fina --mesmo assim, vale dizer, o celular fechado parece grosso. O novo material é o que tornaria o Galaxy Fold flexível e resistente.

Junto com uma dobradiça especial, ele abre e fecha suavemente, como um livro. O formato de livro, inclusive, é o que diferencia o dobrável da Samsung das outras marcas, que costumam fazer as dobras viradas para trás.

Agora, caso você não tenha notado, dá para ver pelas demonstrações que as telas só funcionam quando estão completamente retas. Isso quer dizer que você não consegue segurar o celular levemente aberto como segura um livro.

Ele tem função multitarefas que permite usar três aplicativos ao mesmo tempo. Com isso, você pode rodar um aplicativo com a tela fechada e ao abrir o celular, o app continua funcionando. Vale lembrar que a tela interna só liga quando está totalmente reta. Portanto, não dá para ver o conteúdo segurando o celular no formato "livro".

Gabriel Ribeiro/UOL
Galaxy Fold aberto tem tela de 7,3 polegadas Imagem: Gabriel Ribeiro/UOL

Muitas câmeras no Galaxy Fold

São seis lentes - três na parte de trás, duas na parte interna e uma na parte externa. As três traseiras são: uma ultra-wide de 16MP, e duas de 12 MP, uma grande angular e uma teleobjetiva. A câmera frontal quando aberto é dupla, uma de 10 MP e uma de 8 MP. Há ainda uma última frontal quando dobrado também de 10 MP.

O leitor de impressões digitais foi parar na lateral, onde é acessado pelo polegar.

"O Galaxy Fold supera os céticos, que diziam que a inovação dos smartphones havia acabado. Estamos aqui para prová-los errados. Hoje marca um novo começo, uma mudança", diz DJ Koh, presidente da divisão de dispositivos móveis da Samsung, que espera que o Galaxy Fold signifique a nova fase para a linha.

Ficha técnica Galaxy Fold

Tela principal: 7,3" QXGA+ Amoled Dinâmica (4,2:3)
Tela externa: 4,6" HD+ Super Amoled (21:9)
Câmera externa: 10 MP, F2.2
Câmera traseira tripla: Ultra-Wide de 16MP, F2.2; Grande-angular de 12MP e teleobjetiva de 12 MP, F1.5 / F2.4, Estabilizador Óptico de Imagem (OIS)
Zoom óptico: 12MP, F2.4, OIS PDAF
Câmera Frontal Dupla: 10 MP F2.2 e 8 MP (com profundidade RGB, F1.9)
Processador: Octa-core de 64 bits 7nm
Memória: 12 GB RAM (LPDDR4x), 512 GB (UFS3.0) sem espaço para cartão MicroSD
Bateria: 4.380mAh carregamento rápido compatível com fio e sem fio
Sistema Operacional: Android 9.0 (Pie)

Veja como era o protótipo do dobrável mostrado durante a conferência de desenvolvedores da Samsung, em novembro do ano passado.

Antes da Samsung, a Royole já havia apresentado um aparelho dobrável que parecia ter sido feito às pressas. A chinesa Huawei promete um lançamento do tipo para a próxima semana e a também chinesa Xiaomi mostrou um protótipo de um aparelho. Vale lembrar que a LG lançou neste ano a primeira televisão enrolável -- mais uma tecnologia que reforça as telas curvas neste 2019.

RELEMBRE PRIMEIRO DOBRÁVEL

Quando pusemos as mãos no FlexPai, da Royale, pudemos notar que ele ainda era falho, travava e demorava para responder a alguns comandos na tela.

A tela Amoled funcionava toda "esticada", virando um tablet de 7,8 polegadas, ou dobrada, com os dois lados funcionando de modo independente.Ele era pesado, as bordas eram grossas e dificilmente caberia nos bolsos das nossas calças.

Dobrar a tela foi fácil, mas o aparelho era rígido quando precisava ser reaberto. E a parte de trás, que liga as telas, não é lá muito bonita. Ficava claro que falta muito ainda para se tornar um celular atrativo.

O FlexPai conta com duas câmeras de 16 MP e 20 MP. Se ele estiver aberto, você vai conseguir tirar uma selfie. Com ele dobrado, dá para girar e tirar uma foto com a lente na posição de câmera principal. Ou seja, todas as suas fotos serão tiradas com a ajuda de duas lentes.

Na China, o FlexPai já começou a ser vendido, por cerca de US$ 1.290. No Brasil, a Royole não é tão conhecida, mas sua marca registrada são as telas flexíveis.

Linha S10 ganha quatro modelos

Gabriel Ribeiro Francisco/UOL
Na traseira, apenas o Galaxy S10e tem câmera dupla; os irmãos maiores têm uma tripla Imagem: Gabriel Ribeiro Francisco/UOL
 Os novos Galaxy S10 também estão entre nós, e a Samsung não economizou nos lançamentos desta quarta-feira (20). São quatro modelos do Galaxy S10, décima versão da linha mais antiga de smartphones da empresa.

Os aparelhos deixaram de lado a "tela infinita" e ganharam o "infinity O" (que você pode chamar de "furo na tela" mesmo). Além de telonas mais brilhantes, os dispositivos estão mais leves e com bordas mais finas:

  • Galaxy S10e: é o iPhone XR da linha S da Samsung. Mais barato, vem com uma tela menor, de 5,8 polegadas, e sem curvas, duas câmeras traseiras e uma frontal. Não conta com o novo sensor de digitais, usa o botão lateral igual ao do Galaxy A7.
  • Galaxy S10: versão padrão, com tela de 6,1 polegadas, câmera traseira tripla e uma câmera frontal.
  • Galaxy S10+: versão parruda, com tela de 6,4 polegadas e 1 TB de armazenamento. Por ter câmera traseira tripla e câmera frontal dupla, conta com dois buracos (discretos) na tela.
  • Galaxy S10 5G: é primeiro Galaxy equipado com tecnologia 5G. Vem com tela de 6,7 polegadas, câmera com profundidade 3D e bateria grandona de 4.500 mAh.

*O repórter viajou a convite da Samsung

Muito além do Galaxy: os bastidores do império da Samsung

Leia mais

16, 64 ou 256 GB de memória? Qual o armazenamento certo para seu celular?

Veja como escolher

Mais Notícias