PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Festival de Veneza aposta em Almodóvar e Jane Campion e terá brasileiros em mostras paralelas

26/07/2021 18h09

Os organizadores do Festival de Veneza divulgaram nesta segunda-feira (26) a lista dos filmes na disputa pelo Leão de Ouro. Grandes nomes como Jane Campion e Pedro Almodóvar estão na competição principal desta 78ª edição. A América Latina está bem representada, mas o Brasil aparece apenas em mostras paralelas.

Os organizadores do Festival de Veneza divulgaram nesta segunda-feira (26) a lista dos filmes na disputa pelo Leão de Ouro. Grandes nomes como Jane Campion e Pedro Almodóvar estão na competição principal desta 78ª edição. A América Latina está bem representada, mas o Brasil aparece apenas em mostras paralelas.

No total, 21 filmes foram selecionados para competir pelo prestigioso Leão de Ouro, entre estes vários cineastas reconhecidos, em uma edição que se apresenta particularmente diversa. A seleção principal do mais antigo festival de cinema do mundo contará com diretores da estatura de Almodóvar, que abre a competição com "Mães paralelas", o relato de diversas mulheres, com o qual ele aborda um de seus temas favoritos: maternidade e família, e tem Penépole Cruz no elenco.

Os italianos participam com cinco produções, um recorde na seleção principal, que conta ainda com quatro filmes norte-americanos, três franceses, um filipino, um russo, um polonês e um ucraniano. Um dos mais esperados é "The Power of the Dog", primeiro projeto em dez anos da premiada cineasta Jane Campion.

Entre os latino-americanos, Veneza traz novamente o venezuelano Lorenzo Vigas, que levou o Leão de Ouro em 2015 com "Desde Allá" e compete agora com "La caja". Já o chileno Pablo Larraín foi selecionado com "Spencer", que traz Kristen Stewart na pele da princesa Diana, enquanto o casal argentino Gastón Duprat e Mariano Cohn apresenta o filme "Competição Oficial", protagonizado também por Penélope Cruz e Antonio Banderas. A seleção tem ainda o mexicano Michel Franco, que depois de ter impressionado no ano passado com seu filme "Nova ordem", volta à Veneza com "Sundown".

Bárbara Paz de volta

Mesmo se ficou fora da corrida pelo Leão de Ouro, o Brasil é representado por duas produções este ano em Veneza. O primeiro deles é "7 Prisioneiros", de Alexandre Moratto, que concorre ao prêmio Orizzonti Extra, uma categoria lançada neste ano. Com Rodrigo Santoro e Christian Malheiros (protagonista de "Sócrates") no elenco, o filme é produzido por Fernando Meireles e deve estrear ainda este ano na Netflix.

O segundo brasileiro exibido em Veneza é "Ato", de Bárbara Paz, projetado na mostra Orizzonti Short Films. Rodado em Ouro Preto, o filme leva novamente a diretora a Veneza, após o sucesso de "Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou", premiado em 2019.

A 78ª edição do Festival de Veneza, que acontece entre 1° e 11 de setembro, terá o cineasta sul-coreano Bong Joon-ho, aclamado com o Oscar por "Parasita", como presidente do júri, enquanto a atriz americana Jamie Lee Curtis receberá o Leão de Ouro por sua carreira, e o italiano Roberto Benigni, o Leão de Ouro da Trajetória.

Conheça a seleção completa

Competição Oficial:

  • "Madres paralelas", do espanhol Pedro Almodóvar.
  • "Mona Lisa and the Blood Moon", da americana Ana Lily Amirpour.
  • "Un autre monde", do francês Stéphane Brizé.
  • "The Power of the Dog", da neozelandesa Jane Campion.
  • "America Latina", dos italianos Fabio e Damiano D'Innocenzo.
  • "L'événement", da francesa Audrey Diwan.
  • "Competencia oficial", dos argentinos Gastón Duprat e Mariano Cohn.
  • "Il buco", do italiano Michelangelo Frammartino.
  • "Sundown", do mexicano Michel Franco.
  • "Illusions Perdues", do francês Xavier Giannoli.
  • "The Lost Daughter", da americana Maggie Gyllenhaal.
  • "Spencer", do chileno Pablo Larraín.
  • "Freaks out", do italiano Gabriele Mainetti.
  • "Qui rido io", do italiano Mario Martone.
  • "On the Job: The Missing 8", do filipino Erik Matti.
  • "Leave no Traces", do polonês Jan P. Matuszynski.
  • "Captain Volkonogov Escaped", dos russos Natasha Merkulova e Aleksey Chupov
  • "The Card Counter", do americano Paul Schrader.
  • "É stata la mano di Dio", do italiano Paolo Sorrentino.
  • "Reflection", do ucraniano Valentyn Vasyanovych.
  • "La caja", do venezuelano Lorenzo Vigas.

Mostra Horizontes

  • "Atlantide", do italiano Yuri Ancarani.
  • "Miracol", do romeno Bogdan George Apetri.
  • "Piligrimai", do lituano Laurynas Bareisa.
  • "Il paradiso del pavone", da italiana Laura Bispuri.
  • "The Falls", do taiwanês Mong-hong Chung.
  • "El hoyo en la cerca", do mexicano Joaquín Alejandro del Paso.
  • "Amira", do egípcio Mohamed Diab.
  • "À plein temps", do franco-canadense Eric Gravel.
  • "107 Mothers", do eslovaco Peter Kerekes.
  • "Vera Dreams of the Sea", da kosovar Kaltrina Krasniqi.
  • "Les promeses", do francês Thomas Kruithof.
  • "White Building", do cambojano Javich Neang.
  • "Anatomy of Time", do tailandês Jakrawal Nilthamrong.
  • "El otro Tom", do uruguaio Rodrigo Plá.
  • "El gran movimiento", do boliviano Kiro Russo.
  • "Once upon a Time in Calcutta", do indiano Aditya Vikram Sengupta.
  • "Rhino", do ucraniano Oleh Sentsov.
  • "True Things", da britânica Harry Wootliff.
  • "Inu-oh", do japonês Masaaki Yuasa.

Notícias