PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Dezenas de pessoas cruzam fronteira Líbano-Israel em apoio a palestinos

Fumaça sobe de um prédio destruído por ataques aéreos de Israel durante o conflito na Palestina - Ibraheem Abu Mustafa/Reuters
Fumaça sobe de um prédio destruído por ataques aéreos de Israel durante o conflito na Palestina Imagem: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters

14/05/2021 21h33

Beirute, 14 mai (EFE).- Dezenas de pessoas atravessaram nesta sexta-feira a cerca que separa o Líbano do território israelense em apoio aos palestinos na pior escalada de violência em sete anos entre a Faixa de Gaza e Israel, segundo afirmaram fontes militares libanesas à Agência Efe.

As fontes detalharam que dezenas de pessoas atravessaram a aldeia de Kafrkila, no sul do Líbano, e que o exército libanês se deslocou para essa área, que é dominada pelo grupo xiita libanês Hezbollah.

Segundo os militares, os indivíduos, que não foram identificados, "destruíram a vedação metálica e começaram a queimar a grama na área, mas o exército israelense disparou tiros de advertência que os fizeram regressar", acrescentando que algumas destas pessoas conseguiram entrar em território israelense.

Até agora, pelo menos uma pessoa ficou ferida nesta ação, sem detalhes até agora de como sofreu ferimentos, destacou a fonte militar libanesa.

Por sua vez, o exército israelense confirmou em uma mensagem que os tanques das suas unidades "dispararam tiros de advertência contra vários sabotadores que atravessaram do Líbano para o território israelense".

Esse incidente ocorreu enquanto, no oeste da Jordânia, centenas de manifestantes marchavam em direção à fronteira para chegar à zona militar de Allenby, que separa a Cisjordânia da Jordânia, também em apoio aos palestinos.

No entanto, as forças de segurança jordanianas dispersaram os manifestantes com gás lacrimogêneo para impedi-los de chegar à zona militar, segundo informou a emissora de televisão estatal da Jordânia.

Ontem, pelo menos três projéteis foram disparados do sul do Líbano em direção a Israel, embora seus autores ainda não tenham sido identificados, de acordo com militares libaneses e israelenses.

O Líbano e seu vizinho Israel não têm relações diplomáticas por estarem formalmente em guerra e, após vários conflitos armados, ainda não terem estabelecido um cessar-fogo permanente.

Notícias