PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid-19: Mãe e três filhas morrem em menos de um mês no interior de SP

À esquerda, Mariana e uma das filhas, que levava o mesmo nome; à direita, Maria Verônica - Reprodução/Arquivo Pessoal
À esquerda, Mariana e uma das filhas, que levava o mesmo nome; à direita, Maria Verônica Imagem: Reprodução/Arquivo Pessoal
do UOL

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

05/05/2021 20h11Atualizada em 05/05/2021 21h11

Uma mãe e três filhas morreram vítimas de complicações da covid-19 em um intervalo de menos de um mês, na cidade de Birigui, a 500 km de São Paulo.

A família conta que a aposentada Mariana Ferreira de Brito Carlos, de 84 anos, e as filhas Shirlei Aparecida Carlos de Almeida, de 48, Mariana Carlos, de 39, e Maria Verônica Carlos de Souza, de 53, se infectaram com o vírus no início de abril.

A idosa teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) há três anos e desde então as filhas se revezavam nos cuidados com a aposentada. Devido ao contato diário todas foram infectadas.

"A gente não sabe se a contaminação foi dentro da própria casa por alguém que tenha ido na residência, através de produtos que vieram do supermercado ou se algumas das filhas acabou pegando o vírus e levando para lá", teoriza Alda Maria de Aquino Carlos, nora da aposentada.

mariana e shirlei - Reprodução/Arquivo Pessoal - Reprodução/Arquivo Pessoal
Além de Maria Verônica e Mariana, Shirlei (à dir.) também foi vítima da covid-19
Imagem: Reprodução/Arquivo Pessoal

As outras duas filhas de Mariana, que também participavam do revezamento nos cuidados com a mãe, foram diagnosticadas com covid-19 mas se recuperaram em isolamento domiciliar, sem precisar de internação.

A nora da aposentada detalha ainda que todas as familiares tiveram sintomas gripais inicialmente leves, como coriza, cansaço e febre.

Mas o quadro da idosa e de três das filhas deteriorou rapidamente, as levando à internação em hospitais da cidade.

"Elas estavam sempre atentas, fazendo tomografias do pulmão e acompanhando a doença. Mas a piora delas foi muito rápido, de um dia para o outro", recorda Alda.

Sem apresentar melhoras, Shirlei morreu no dia 11 de abril. Onze dias depois, a irmã mais nova, Mariana, também não resistiu às complicações causadas pela doença.

No dia 27 de abril, foi Maria Verônica que faleceu. E ontem, a matriarca da família.

"Os óbitos foram todos muito próximos um dos outros e isso fez com que a nossa família sentisse demais essas perdas. A situação muito triste, uma tragédia familiar", concluiu Alda.

Notícias