PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Atos do 1º de Maio têm confrontos com polícia em Paris, Istambul e Berlim

do UOL

Do UOL, em São Paulo*

01/05/2021 16h54Atualizada em 01/05/2021 18h41

Resumo da notícia

  • Polícia deteve ao menos 34 pessoas em Paris; milhares participaram de protestos na Europa
  • Na França, manifestantes reivindicaram mais justiça econômica e social
  • Dia também teve protestos na Turquia e na Alemanha

Confrontos entre manifestantes e a polícia em Paris marcaram o dia Primeiro de Maio na França, em data marcada por atos de milhares de pessoas no país e na Europa por justiça econômica e social e expressar oposição aos planos do governo para alterar benefícios do seguro-desemprego.

Na capital francesa, a polícia deteve 34 pessoas, latas de lixo foram incendiadas e janelas de bancos foram quebradas. Houve atos também na Turquia e na Alemanha.

Imagens de confrontos em Paris foram postadas em redes sociais.

Os sindicalistas receberam a companhia de membros do movimento Colete Amarelo, que desencadeou uma onda de protestos três anos atrás, e por trabalhadores de setores duramente atingidos pelas restrições da pandemia, como a Cultura.

Os manifestantes, a maioria usando máscaras, dentro das regras contra o coronavírus, carregaram cartazes nos quais se lia "Os dividendos, e não os benefícios de desemprego, são a renda dos preguiçosos" e "Queremos viver, não sobreviver".

"Muito dinheiro está indo para aqueles que já têm muito e menos para quem não tem nada, como está refletido nos planos de reforma do seguro-desemprego que queremos que seja abandonado", disse Philippe Martínez, chefe do sindicato CGT.

Cerca de 300 protestos foram organizados em cidades como Lyon, Nantes, Lille e Toulouse.

Turquia e Alemanha

Na Turquia, a polícia turca também prendeu dezenas de pessoas que tentaram organizar uma passeata em Istambul apesar da proibição de manifestações devido à pandemia.

Pelo menos cem manifestantes foram detidos quando tentavam se aproximar da praça Taksim, local habitual de protestos. Os policiais recorreram à violência para impedir e deter os manifestantes.

Segundo a Associação de Advogados Contemporâneos de Istambul, 170 pessoas foram detidas.

Desde 29 de abril, a Turquia impõe um rígido confinamento devido à terceira onda epidêmica de covid-19.

Na Alemanha, dezenas de protestos foram realizados, incluindo manifestações organizadas por sindicatos, pela esquerda radical, por críticos de Putin e negadores da covid-19.

A primeira parte do dia passou sem incidentes, mas mais tarde, manifestantes entraram em confronto com a polícia.

Em Berlim, eles entraram em confronto com um grupo de policiais com equipamento anti-motim, atirando garrafas e fogos de artifício contra os oficiais. Vários policiais ficaram feridos.

* Com agências internacionais.

Notícias