PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Investigado por lavagem, banco ABN Amro pagará 480 milhões de euros após acordo

imagem ilustrativa; Banco foi acusado de não ter controlado de maneira suficiente as contas e de não ter informado sobre "transações pouco habituais" ou ter feito isso muito tarde - Getty Images/iStockphoto
imagem ilustrativa; Banco foi acusado de não ter controlado de maneira suficiente as contas e de não ter informado sobre "transações pouco habituais" ou ter feito isso muito tarde Imagem: Getty Images/iStockphoto

Em Haia

19/04/2021 07h07

O banco holandês ABN Amro, o terceiro maior do país e objeto de uma investigação por lavagem de dinheiro, pagará 480 milhões de euros (US$ 575 milhões de dólares) após um acordo com as autoridades.

O anúncio acontece após a investigação do MP em 2019. O banco foi acusado de não ter controlado de maneira suficiente as contas e de não ter informado sobre "transações pouco habituais" ou ter feito isso muito tarde.

"Entre 2014 e 2020, o ABN Amro (...) não assegurou de maneira suficiente sua missão de controle contra a lavagem de dinheiro. O ABN Amro aceitou pagar 480 milhões de euros, como propôs o Ministério Público", afirma o banco em um comunicado.

Dois ex-diretores do ABN Amro, Chris Vogelzang e Gerrit Zalm, anunciaram pedidos de demissão hoje em seus cargos no banco dinamarquês Danske Bank por este caso.

O MP começou a investigar o ABN Amro depois que o Banco Central Holandês (DNB) ordenou em agosto de 2019 a supervisão dos cinco milhões de clientes particulares no país.

Notícias