PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Homem de 29 anos morre após explosão em churrasqueira no interior de SP

Maurício Colombini, de 29 anos, morreu enquanto tentava acender churrasqueira, que acabou explodindo - Reprodução/Facebook
Maurício Colombini, de 29 anos, morreu enquanto tentava acender churrasqueira, que acabou explodindo Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Naian Lopes

Colaboração para o UOL, em Pereira Barreto (SP)

16/04/2021 14h42Atualizada em 16/04/2021 19h00

O empresário Maurício Colombini, de 29 anos, morreu ontem após ter 80% do corpo queimado no último final de semana, enquanto tentava acender uma churrasqueira com álcool em uma fazenda na cidade de Eldorado (SP).

Segundo informações da Polícia Civil, a tentativa de criar fogo acabou em uma explosão, que atingiu o rapaz. Ele foi levado para o Hospital Geral Vila Penteado, em São Paulo, e ficou cerca de cinco dias internado por estar com queimaduras de 2º e 3º graus.

Em contato com o UOL, um amigo de Maurício identificado como Weliton Bacil, mais conhecido como Turco, relatou que acabou desistindo de ir ao passeio, mas que o empresário foi para uma fazenda com outros dois colegas.

"Ele me ligou na quinta pra gente acertar algumas questões e depois confirmou o encontro na sexta. Falei que iria, tava tudo certo, porque a gente era muito amigo, fazíamos negócios juntos. Só não fui ao encontro no sábado na fazenda que eu vendi pra ele", relata.

"Era pra eu ter chegado lá por volta das 15h, mas acabei não indo. Se eu tivesse ido, não deixaria ele mexer com álcool nunca, porque tenho experiência com carne. Aí fiquei em casa e acabou acontecendo tudo isso", lamenta.

Segundo Bacil, o churrasco deveria ter acontecido no fogão a lenha da fazenda. "A gente sempre fez nela as coisas", diz o homem, de 40 anos.

Com a explosão, Maurício ficou gravemente ferido e os dois colegas que estavam no local o levaram para o hospital às pressas.

Bacil só soube do acidente no dia seguinte, por outro amigo em comum.

"Quando foi no domingo, outro amigo meu comentou comigo que outros dois amigos tinham visto, estavam desesperados e avisaram só a família. Aí depois que os outros amigos ficaram sabendo", explica.

Após chegar ao Pronto Atendimento Municipal, o empresário foi transferido para o Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua, em Pariquera-Açu e passou por uma cirurgia de emergência. Em seguida, precisou ser levado para a unidade de saúde da capital paulista.

"Aí o acidente aconteceu no sábado, por volta das 17h. Ele faleceu ontem e hoje aconteceu o enterro", conta Turco.

Apesar de Colombini morar em Apiaí (SP), o sepultamento ocorreu em Campinas, sua cidade natal.

Maurício era divorciado e deixa uma filha de 6 anos.

"Era um cara tranquilo, muito educado, de família bem-sucedida, que começou no meio da roça e depois virou forte no mercado de transporte, depois de combustível. Não brigava com ninguém. Ele me mandava mensagem todo dia, tanto que eu arrumei a venda da fazenda pra ele", relembra Bacil.

Apesar do abalo emocional, familiares e amigos se manifestaram para fazer uma homenagem em texto ao empresário.

"Grande e eterno Mauricinho como nós carinhosamente te chamava. Nenhum adeus é fácil de dizer, mas quando sabemos que a despedida é eterna a dor torna-se insuportável. Você se foi e de repente tudo na vida de seus familiares e amigos na vida perdeu cor e alegria", diz um trecho.

"Jamais esqueceremos você, tudo que viveu entre nós... Todas as coisas boas que trouxe para nossas vidas. Sei que o tempo trará serenidade e aceitação, mas a saudade veio para ficar, pois ela, assim como a sua partida, é eterna", completa a homenagem.

Notícias