PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

SP comemora 35 mil vacinados em um dia e promete mais postos de drive-thru

Grande fila de carros se formou ontem no posto de vacinação drive-thru do Estádio do Pacaembu - Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo
Grande fila de carros se formou ontem no posto de vacinação drive-thru do Estádio do Pacaembu Imagem: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo
do UOL

Colaboração para o UOL

28/02/2021 11h29

O Secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, comemorou a grande quantidade de vacinados contra covid-19 no dia de ontem. Idosos de 80 a 84 anos começaram a ser imunizados, mas houve problemas, principalmente por causa de longas filas. Então o governo do estado prometeu que vai ampliar os postos de vacinação drive-thru, em que as pessoas são imunizadas dentro do carros.

"Amanhã anunciaremos a abertura de novos locais, para que pessoas possam levar os idosos de forma segura e rápida, não como vimos ontem. O sucesso foi tão grande que conseguimos vacinar, só ontem, quase 35 mil pessoas, sendo 9.300 mil no drive-thru", afirmou Jean em entrevista à Globonews.

Para acelerar a vacinação e diminuir filas, São Paulo passou a vacinar neste domingo, o que não era previsto. Também já foi aberto um posto a mais de vacinação drive-thru. Jean foi perguntado se é possível fazer mais alguma coisa para aumentar o ritmo da vacinação. Mas reforçou que precisa receber mais imunizantes.

"Precisamos de mais vacinas, que garantirão celeridade do processo de vacinação. Temos toda estrutura no Brasil. Mas só com mais vacinas conseguiremos ter velocidade para proteger as pessoas", afirmou o Secretário.

Ele também comentou sobre a liminar concedida pelo STF (Supremo Tribunal Federal) que obriga o governo federal a custear mais leitos em São Paulo. Jean mostrou otimismo e disse que esse pagamento deve acontecer até o final da semana.

"São Paulo deixou de receber do Ministério da Saúde R$ 1,4 bilhões nesse custeio relacionado a leitos de UTI. São valores de R$ 210 milhões todos meses. Temos um limite. Precisamos de recursos para continuar fomentando e promovendo saúde. Queremos que a lei se faça prevalecer. Temos certeza que nos próximos 5 dias teremos posicionamento favorável e que esses recursos vão aportar no caixa do estado", concluiu Jean.

Notícias