PUBLICIDADE
Topo

Máfia 'ndrangheta se infiltra na menor região da Itália

13/12/2019 18h48

AOSTA, 13 DEZ (ANSA) - O governador da região do Vale de Aosta, no norte da Itália, virou alvo de um inquérito por suspeita de ter feito negociatas com a máfia 'ndrangheta nas eleições locais de 2018.   

Antonio Fosson, que lidera uma coalizão de partidos regionalistas, é investigado pelo Ministério Público de Turim, assim como os secretários Laurent Viérin (Turismo e Bens Culturais), ex-governador do Vale de Aosta, e Stefano Borello (Obras Públicas), além do conselheiro regional Luca Bianchi.   

Os últimos três já foram interrogados pela polícia. A suspeita é de que a 'ndrangheta, uma das organizações criminosas mais poderosas do mundo e originária da Calábria, tenha condicionado o resultado das eleições de 20 de maio de 2018 no Vale de Aosta, a região menos populosa da Itália.   

Segundo o inquérito, Viérin, que na época governava a região, se encontrou com o suposto líder mafioso Roberto Di Donato em 4 de maio de 2018, cerca de duas semanas antes do pleito. Ainda não se sabe o teor exato das suspeitas contra Fosson, mas os partidos que o apoiam ameaçam romper a aliança, o que pode forçar a convocação de eleições antecipadas.   

O Vale de Aosta já teve quatro governadores diferentes desde março de 2017, um período marcado por crises políticas e investigações judiciárias contra expoentes do poder público.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias