Topo

Verdes se preparam para crescimento histórico nas eleições na Suíça

20/10/2019 20h38

Genebra, 20 Out 2019 (AFP) - Os partidos verdes registraram um crescimento histórico nas eleições legislativas suíças neste domingo (20), mas a direita populista continuará sendo a primeira força política do país, de acordo com as primeiras projeções.

Segundo os resultados definitivos, os Verdes (esquerda) são o quarto partido do conselho nacional, à frente do Partido Democrático Cristão (PDC, centro), e logo atrás do Partido Liberal Radical (PLR, direita).

No total, os Verdes conseguiram mais 17 deputados, passando a ter 28 assentos (13,2% de los votos). Os Verdes liberais (direita) tiveram mais nove assentos, em um total de 16 (7,8% dos votos).

Os Verdes pedem a "celebração urgente de uma cúpula nacional sobre o clima". Para o Greenpeace "o resultado dessas eleições outorga um claro mandato ao parlamento".

Os protestos da jovem ativista ambiental sueca Greta Thunberg tiveram um eco especial na Suíça, onde 100 mil pessoas participaram da "greve climática", no final de setembro, em Berna.

O alcance do crescimento dos partidos verdes era a principal incógnita das eleições para renovar os 200 conselheiros nacionais (câmara baixa), eleitos proporcionalmente, e os 46 conselheiros estaduais (câmara alta), nomeados através de um sistema de maioria em dois turnos.

A data do segundo turno varia de acordo com os cantões.

Em avanço constante desde os anos 1990, os populistas de direita da União Democrática de Centro (UDC) saíram enfraquecidos da votação, com 25,6% dos votos (54 assentos), em comparação aos 29,4% obtidos em 2015.

O Partido Socialista (PS), com 39 cadeiras, os liberais radicais (PLR), à direita, com 29 cadeiras, e democratas-cristãos (PDC, centro), com 25 assentos, também recuaram.

apo/gca/mar-bc/age/lca/cc

Notícias