Topo

Conservador consegue ganhar dinheiro no Tesouro Direto apostando em prazos

do UOL

Vinícius Pereira,

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Com juros baixos no país, investidor precisa correr mais riscos para tentar aumentar o rendimento
  • Investidores de perfil mais conservador preferem continuar na renda fixa, ainda que ganhando menos
  • Para quem quer continuar no Tesouro Direto, a dica é apostar em prazos maiores para ter rendimento maior
  • É preciso se planejar para saber se não irá precisar daquele valor antes do prazo final
  • Para quem precisa do dinheiro no médio prazo, sugestão são os títulos Tesouro Prefixado 2025 ou 2029
  • Para quem pode investir por mais tempo, são indicados os títulos Tesouro IPCA 2035 ou 2045

A nova política de juros baixos no Brasil deixa dúvidas sobre qual tipo de investimento ainda vale a pena. Muita gente aceita correr mais riscos em busca de um rendimento maior, mas outros ainda preferem manter os investimentos básicos, principalmente em renda fixa, mesmo com retornos mais tímidos.

Para esse perfil mais conservador, especialistas ouvidos pelo UOL apontam saídas para manter o rendimento minimamente satisfatório. Por exemplo, para quem quer continuar investindo no Tesouro Direto, a dica para manter ao menos parte dos ganhos é apostar em prazos maiores.

Maior prazo, melhor remuneração

"Quanto maior o prazo, melhor a remuneração. Então, caso possa deixar por um tempo maior, o investidor conseguirá um rendimento melhor", disse Marcos Antônio de Andrade, professor de Economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Antes disso, segundo Andrade, é preciso fazer um planejamento para saber se realmente não irá precisar daquele valor antes do prazo final. "Se eventualmente precisar resgatar o dinheiro antes do previsto, você teria que pagar um deságio que pode inviabilizar o investimento", afirmou.

Apesar de o governo garantir a recompra de qualquer título do Tesouro Direto, o valor do produto pode cair caso o investidor opte por retirar antes do tempo acordado. Por isso, é importante que os títulos sejam mantidos até o final.

O Tesouro Direto é um investimento de renda fixa e considerado o mais seguro dentro desse tipo de produto, já que é o Tesouro Nacional quem garante o pagamento.

Qual dos títulos escolher?

Há três tipos de títulos à disposição atualmente: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+. Como a taxa básica de juros, a Selic, deve cair mais neste ano, o produto Prefixado leva vantagem.

Para quem precisa do dinheiro no médio prazo

"Para quem não tem tempo para esperar, o governo oferece Tesouro Prefixado 2025 ou 2029. O rendimento desses investimentos realmente não está ruim. Se considerarmos a Selic de 4% ao ano ou 4,75% ao ano [projeção], você garante uma taxa bacana", disse Betty Grobman, especialista e professora de Finanças da BSG DuoPrata, FIA/B3.

Fizemos uma simulação com a calculadora do Tesouro, considerando um investimento de R$ 10 mil em até seis anos. O investidor ganharia, ao final do prazo:

  • Tesouro Prefixado 2025: R$ 13.260 líquidos (6,68%)
  • Tesouro Selic 2025: R$ 13.262,36 líquidos (Selic + 0,02%)
  • Tesouro IPCA+ 2024: R$ R$ 12.810,22 líquidos (IPCA + 2,61%)

Para quem pode investir por mais tempo

Caso o investidor tenha mais tempo disponível e o objetivo seja metas de longo prazo, como a aposentadoria, por exemplo, a melhor opção é o Tesouro IPCA+.

"Você quer poupar para o futuro? Compra um Tesouro IPCA 2035 ou 2045. Se você tem um objetivo de prazo mais longo, não tem nada melhor. Você está garantindo uma taxa melhor e se protegendo sempre da inflação", afirmou Grobman.

Leia mais sobre o Tesouro Direto:

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Descomplique: 5 coisas que você precisa saber sobre o Tesouro Direto

UOL Notícias

Notícias