Topo

Gibraltar prorroga em 30 dias a detenção de petroleiro iraniano envolvido em tensões

6.jul.2019 - Petroleiro iraniano Grace 1 na costa de Gibraltar - Jorge Guerreiro/AFP
6.jul.2019 - Petroleiro iraniano Grace 1 na costa de Gibraltar Imagem: Jorge Guerreiro/AFP

Em Algeciras (Espanha)

19/07/2019 10h22

A Suprema Corte de Gibraltar estendeu por mais 30 dias o período de detenção do petroleiro iraniano Grace 1, retido há duas semanas nesse território devido às suspeitas de que transportava petróleo para a Síria.

A decisão foi tomada hoje durante reunião do Supremo local, que marcou uma nova audiência para o dia 15 de agosto, segundo informou o governo desta colônia britânica em comunicado.

O petroleiro foi interceptado e abordado perto da costa gibraltina pelas suspeitas de que transportava petróleo a uma refinaria da Síria, país em conflito armado há oito anos e sujeito a sanções da União Europeia (UE).

Quatro membros da tripulação do petroleiro, entre eles o capitão, foram detidos, mas colocados em liberdade após pagar uma fiança na semana passada.

A detenção do Grace 1 gerou um conflito diplomático entre Irã e Reino Unido, e na semana passada uma fragata da Marinha britânica abortou uma tentativa de três navios ligeiros iranianos de interceptar um petroleiro britânico que navegava pelo Golfo Pérsico.

O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, classificou na terça-feira passada a detenção do petroleiro iraniano como "ato de pirataria marítima" e advertiu que seu país responderá ao Reino Unido "no momento apropriado".

Na quarta-feira, a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o ministro principal gibraltino, Fabián Picardo, analisaram a situação em reunião em Londres, na qual a chefe de governo do Reino Unido ressaltou a "importância de que se siga o processo legal independente em Gibraltar" e elogiou os esforços do território em "implementar as sanções da União Europeia sobre a Síria".

Mais Notícias