Topo

Ford corta 12 mil empregos na Europa até o fim de 2020 para voltar a lucrar

Yevgeny ASMOLOV/INTERPRES /AFP
Como parte da reestruturação, fabricante já encerrou a produção em três fábricas na Rússia Imagem: Yevgeny ASMOLOV/INTERPRES /AFP

Edward Taylor

Em Frankfurt (Alemanha)

2019-06-27T09:21:24

27/06/2019 09h21

A Ford anunciou que cortará 12 mil empregos na Europa até o final de 2020 para tentar voltar ao lucro. A decisão faz parte de uma onda de redução de custos em uma indústria automobilística que enfrenta demanda estagnada e recorde de investimentos para construir carros de baixa emissão de poluentes.

O desafio de investir em veículos elétricos, híbridos e autônomos, ao mesmo tempo em que reformulou os motores de combustão para atender às novas regras de ar limpo, forçou as montadoras a cortar custos fixos e simplificar seu portfólio de produtos.

A fabricante informou que encerrou a produção em três fábricas na Rússia, está em processo de fechamento de unidades na França e no Reino Unido e já cortou turnos em linhas de produção em Valência, na Espanha, e Saarlouis, na Alemanha.

"Concluímos em grande parte consultas com parceiros sociais sobre ações de reestruturação", disse à "Reuters" Stuart Rowley, presidente da Ford Europa.

Aproximadamente 12 mil postos de trabalho serão afetados nas instalações próprias da Ford e também em joint-ventures na Europa até o final de 2020, principalmente por meio de programas de demissão voluntária.

Cerca de 2.000 deles são cargos assalariados, que estão incluídos entre os 7.000 que a Ford está reduzindo globalmente, disse a montadora. O resto são trabalhadores em contratos por hora ou temporários.

A Ford Europa tem 51 mil funcionários na Europa ou 65 mil quando joint-ventures estão incluídas.

Expectativa de retomada nos lucros

Em janeiro, a Ford anunciou uma ampla revisão de negócios, que incluiu a perspectiva de fechamento de fábricas e a interrupção de linhas de veículos deficitárias para obter uma margem operacional de 6% na Europa.

A demanda por carros na Europa está caindo, disse hoje (27) a associação europeia de fabricantes de automóveis, prevendo que o número de carros europeus de passageiros encolherá 1% em 2019, para 15 milhões de carros -- revisando sua previsão anterior de crescimento de 1%.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Mais Notícias