Topo

Zimbábue proíbe uso de moeda estrangeira, usada como oficial desde 2009

24/06/2019 14h09

Harare, 24 jun (EFE).- O governo do Zimbábue declarou nesta segunda-feira o chamado "dólar zimbabuano" como única moeda válida no país, proibindo assim o uso do dólar americano, divisa adotada como oficial em 2009 para transações locais.

"A libra britânica, o dólar, o rand sul-africano, a pula botsuana e qualquer outra divisa estrangeira de qualquer tipo já não serão moeda de curso legal junto com o dólar do Zimbábue", declarou hoje em um aviso oficial o Banco Central do país.

Este novo passo pode aumentar as tensões entre a população, que pediu às autoridades que se desfaçam da divisa local, chamada oficialmente dólar RTGS (dólar de Liquidação Bruta em Tempo Real, na sigla em inglês).

O governo introduziu esta divisa formalmente em fevereiro para permitir a liberalização da taxa de câmbio, o que, pelo contrário, fez com que as "notas bancárias" em circulação, equiparadas ao dólar, perdessem 80% do seu valor.

Os trabalhadores, principalmente os funcionários públicos, recebem geralmente em RTGS e veem seu poder aquisitivo se reduzir cada vez mais devido à inflação, que chegou quase a 100% no mês passado.

Desde sua introdução, o valor do RTGS caiu de forma drástica e nesta segunda-feira seu câmbio era de 12 por cada dólar.

Coletivos de médicos e de professores públicos protagonizaram no começo do ano fortes protestos e greves, nos quais morreram cerca de 20 pessoas, a fim de exigir ao governo que lhes pagasse em dólares.

Muitas lojas e negócios oferecem grandes descontos aos clientes que paguem em divisa estrangeira, e algumas farmácias só aceitam esta forma de pagamento, razão pela qual esta nova proibição semeia a incerteza entre a população.

O Banco Central anunciou que apenas as companhias aéreas internacionais poderão operar com divisas estrangeiras.

O tesoureiro do principal partido opositor, o Movimento pelo Mudança Democrática, David Coltart, tachou esta decisão de "loucura", alegando que o Zimbábue adotou o dólar dos EUA há dez anos precisamente "pela falta de confiança na moeda local".

Nos últimos meses, a mobilização civil e a ira aumentaram neste país africano, por conta da escassez de dinheiro e de combustível, assim como pelo aumento exagerado dos preços. EFE

Mais Notícias