Topo

Democratas cobram divulgação da versão completa do relatório de Mueller

2019-03-24T21:02:00

24/03/2019 21h02

Washington, 24 mar (EFE).- Os líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos insistiram neste domingo que querem ver a versão completa do relatório elaborado pelo procurador especial Robert Mueller sobre os contatos entre a campanha de Donald Trump com as autoridades russas durante as eleições de 2016.

"O Congresso requer o relatório completo e os documentos subjacentes para que os comitês possam continuar com o seu trabalho independente, incluindo a supervisão e a legislação para abordar qualquer problema que o relatório possa acarretar", disseram os líderes democratas na Câmara de Representantes e no Senado.

O relatório final de Mueller concluiu que ninguém da campanha de Trump nem o próprio governante conspiraram com as autoridades russas no pleito de 2016, segundo uma carta que o procurador-geral, William Barr, enviou ao Congresso.

Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes, e Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado, consideraram que o resumo de Barr gera a mesma quantidade de perguntas e respostas.

"O fato de o relatório de Mueller não inocentar o presidente de uma acusação tão grave como a obstrução da Justiça mostra o quão urgente é que o relatório completo e a documentação sejam divulgados sem mais demora", argumentaram.

De acordo com Barr, Mueller indicou que "embora este relatório conclua que o presidente (Trump) não cometeu um crime, tampouco o inocenta". Dessa forma, o documento divulgado neste domingo fica "sem definir se as ações e a intenção do presidente podem ser vistas como uma obstrução" à Justiça.

Barr argumentou que ele e o procurador-geral adjunto, Rod Rosenstein, concluíram que o material reunido por Mueller "não é suficiente para estabelecer se o presidente cometeu obstrução da justiça".

Pelosi e Schumer acusaram Barr de ter um "histórico público de viés" contra a investigação de Mueller, motivo pelo qual disseram que "não é um observador neutro e não está em condições de fazer determinações objetivas sobre o relatório".

Após conhecer as conclusões do relatório, Trump comemorou e disse que o documento representa a sua "uma completa e total inocência".

Em breves declarações aos jornalistas pouco antes de pegar um voo rumo a Washington no Aeroporto Internacional de Palm Beach, no sul da Flórida, Trump disse que as alegações de uma suposta conspiração da sua campanha eleitoral com a Rússia foi "a coisa mais ridícula".

No comunicado, Pelosi e Schumer falaram que a reação de Trump "não deve ser recebida com nenhum grau de credibilidade", já que as conclusões de Mueller não o inocentam completamente. EFE

Mais Notícias