PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Quem era a professora morta no ataque com facão a creche de SC

A professora Keli Adriane Aniecevski, uma das vítimas do ataque a uma creche em Saudades (SC) - Reprodução/Facebook
A professora Keli Adriane Aniecevski, uma das vítimas do ataque a uma creche em Saudades (SC) Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Do UOL, em São Paulo

04/05/2021 15h04Atualizada em 04/05/2021 20h39

A professora Keli Adriane Aniecevski, 30, é uma das cinco pessoas mortas no ataque a uma creche no município de Saudades (SC), na manhã de hoje. Além dela, três crianças e mais uma mulher morreram após um homem invadir o CEI (Centro de Educação Infantil) Pró-Infância Aquarela e desferir golpes com um facão.

De acordo com a Polícia Civil, a professora estava na entrada da creche e foi a primeira a ser atacada pelo autor do atentado. Ela ainda tentou correr, mas foi alcançada pelo homem e morreu na escola. A identidade da professora foi confirmada por Luiz Fernando Kreutz, assessor jurídico da Prefeitura de Saudades (SC).

Após atacá-la, o suspeito teria entrado em uma sala de aula e desferido os golpes em crianças. No local, havia quatro alunos e uma funcionária da escola.

"Ele começou a atacar a professora, que correu para uma sala onde tinham crianças. Lá nessa sala, ele agrediu outras pessoas", disse o delegado Jerônimo Marçal, em entrevista à Rádio Vale FM.

Amigo de Keli, o arquiteto e presidente do Leo Clube de Saudades, Adryel Kreutz, 24, lembrou que a professora "sempre foi uma pessoa que se destacou muito pelo compromisso, pela responsabilidade e pelo respeito pelo próximo em se doar. "Ela foi uma líder."

"Hoje a gente tem um projeto que vai repetindo ano após ano, que é o de revitalizar espaços infantis. Aqui na Aquarela, foi a primeira que a gente fez e foi por iniciativa dela. O solarius, onde as crianças tomam sol e precisava de mais cuidado", lembra.

A Kelli sempre levou o voluntariado, o altruísmo, com muita responsabilidade. Ela sempre quis se doar muito a isso, ela sempre fez isso com muito amor, principalmente. Para ela, era algo muito sério o voluntariado. Não era uma atividade de lazer ou algo assim. Era o trabalho dela."
Adryel Kreutz, 24

Em entrevista ao site NSC Total, a prima da educadora Cristiane Aniecevski Krindges afirmou que Keli trabalhava na unidade havia cerca de cinco anos.

Era uma pessoa muito querida. Nós estamos em choque com o que aconteceu. Disseram para nós que ela tentou defender as crianças.
Cristiane Aniecevski Krindges, prima da vítima

Nas redes sociais, uma amiga de Kelli lamentou a perda. "Eu não posso acreditar! Amiga querida", disse a amiga em um post no Facebook.

Autor tentou se matar, mas foi impedido, diz PM

Por volta das 10h, um jovem de 18 anos armado com um facão invadiu a creche e desferiu golpes em crianças e adultos dentro do estabelecimento de ensino, voltado para crianças de até três anos, segundo a Polícia Militar.

Ainda segundo a PM, o rapaz tentou se matar após o ataque, mas foi interrompido por populares. Internado em Chapecó, o autor do atentado estava com quadro de saúde estável até a tarde de hoje.

De acordo com a investigação preliminar, o suspeito chegou a creche em uma bicicleta e não tem problemas mentais aparentes nem passagens pela polícia.

Ainda segundo a investigação preliminar, a tragédia não foi maior porque as professoras da instituição perceberam o atentado e trancaram as outras salas que tinham aulas no momento.

A governadora em exercício de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), decretou luto de três dias devido à tragédia.

Mapa Saudades (SC) - Arte/UOL - Arte/UOL
Mapa Saudades (SC)
Imagem: Arte/UOL
Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado na primeira versão, Luiz Fernando Kreutz é assessor jurídico da Prefeitura de Saudades (SC), e não da Prefeitura de Descanso (SC). A informação foi corrigida.

Notícias