PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Powell, do Fed, diz à CBS que economia dos EUA está em "ponto de inflexão"

11/04/2021 16h29

Por Dan Burns

(Reuters) - A economia dos Estados Unidos está em um "ponto de inflexão", com expectativas de que o crescimento e as contratações acelerem nos próximos meses, mas alguns riscos permanecem, especialmente qualquer ressurgimento da pandemia de coronavírus, disse o chair do Federal Reserve, Jerome Powell.

Em uma breve prévia de uma entrevista mais longa para o programa da CBS "60 Minutes", programado para ir ao ar na íntegra na noite de domingo, Powell ecoou seu otimismo recente sobre a economia e uma advertência agora familiar de que a Covid-19 continua sendo o principal risco.

"Sentimos que estamos em um lugar onde a economia está prestes a começar a crescer muito mais rapidamente e a criação de empregos chegando muito mais rapidamente, então o principal risco para nossa economia agora é realmente que a doença se espalhe novamente", disse Powell.

"Será inteligente se as pessoas continuarem a se distanciar socialmente e usar máscaras."

De fato, os dados recentes sobre a economia têm sido positivos em geral, com a criação de 916 mil empregos em março, melhor que o esperado, e alguns funcionários do Fed sugerindo que é possível gerar um milhão de novos empregos por mês ainda este ano.

Embora os Estados Unidos estejam vivendo um aumento em algumas áreas, como Michigan, as taxas de infecção em grandes partes do país estão nos níveis mais baixos em vários meses, e a vacinação continua acelerado, com um recorde de 4,6 milhões de doses administradas em um dia no sábado, de acordo com uma contagem da Reuters.

Isso permitiu que várias áreas da economia reabrissem de forma mais completa. A atividade nos setores de lazer e entretenimento, bastante afetados, aumentou significativamente nas últimas semanas, com os consumidores recuperando a confiança para voltar a jantar fora e embarcar em aviões.

Ainda assim, mesmo com o grande aumento de empregos em março, o mercado de trabalho permanece com 8,4 milhões de empregos aquém de onde estava em fevereiro de 2020, pouco antes da pandemia desencadear uma desaceleração histórica, e ainda mais longe de onde o nível de emprego estaria agora se o pandemia nunca tivesse ocorrido.

Powell disse na quinta-feira que o banco central norte-americano não está nem perto de reduzir seu apoio à economia e que a próxima alta nas leituras de inflação provavelmente será transitória. Como em sua entrevista ao "60 Minutes", ele disse que o vírus continua a governar as perspectivas.

(Reportagem de Dan Burns)

Notícias