PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Ministro da Infraestrutura diz estar confiante com investidores em leilões

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, falou sobre concessões - Edu Andrade/Fatopress/Estadão Conteúdo
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, falou sobre concessões Imagem: Edu Andrade/Fatopress/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

02/08/2020 23h11

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) está "confiante com a presença de investidores nos leilões" mesmo com os impactos da pandemia do novo coronavírus.

No início de julho, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou o edital de leilão e a minuta de contrato da sexta rodada de concessões de aeroportos. Os 22 terminais serão leiloados no primeiro trimestre de 2021, divididos em três blocos (regiões Sul, Norte e Centro-Oeste).

"A gente está muito confiante com a presença de investidores nos leilões que nós vamos fazer. Do ano passado até agora, fizemos 30 leilões de ativos. 29 leilões de concessão e mais três prorrogações antecipadas de contrato de concessão de ferrovia. Estamos muito seguros e confiantes pelo seguinte: o investidor enxerga que o Brasil tem tradição em respeito aos contratos. Temos excelentes ativos", disse em entrevista à CNN.

De acordo com Tarcísio Freitas, a crise provocada pelo novo coronavírus não vai afetar os leilões.

"A pandemia não mudou o cenário. A gente estabeleceu algumas metas desde o início. A gente continuou estruturando projetos de concessão durante a pandemia. A gente já tinha um orçamento apertado antes em função da situação fiscal. Não paralisamos nenhum tipo de atividade durante a pandemia. Pouca coisa alterou e está tendo que ser alterada", afirmou.

"Temos conversado com investidores do mundo inteiro. Temos vários grupos interessados, aqueles que já estão no Brasil e outros grupos que ainda não estão posicionados e têm um forte interesse de entrar no mercado brasileiro, além de vários fundos de investimento", acrescentou.

Notícias