PUBLICIDADE
Topo

França recrimina China e Rússia por "instrumentalizarem" ajuda por Covid-19

29/03/2020 11h51

Paris, 29 Mar 2020 (AFP) - Uma ministra francesa criticou neste domingo que a China e a Rússia exploram de forma propagandística a ajuda que fornecem a outros países durante a crise de saúde Covid-19.

"A solidariedade não se instrumentaliza", disse a secretária de Estado francesa para os Assuntos Europeus, Amélie de Montchalin, à rádio France Inter.

"Às vezes é mais simples fazer propaganda, belas imagens e, às vezes, usar o que está acontecendo", afirmou. "Falo da China, da Rússia, que está fazendo uma encenação", enfatizou.

A China, que parece ter combatido a epidemia em seu território, e a Rússia são suspeitas de querer aproveitar a ajuda que estão fornecendo, especialmente aos países europeus, para exaltar seu modelo de poder econômico.

Pequim enviou nove especialistas chineses em coronavírus e várias toneladas de suprimentos médicos para a Itália em 12 de março.

A Rússia enviou virologistas para a Itália e criticou a União Europeia, incorrendo, de acordo com críticos do governo russo, em atos de desinformação.

"Está bem, eles fazem o que precisam, nós agradecemos", acrescentou.

A Europa, incluindo a França, também ajudou a China quando o epicentro da epidemia estava lá, observou Montchalin.

"A certa altura, a China precisou de nós. Enviamos 56 toneladas de material para a China", disse ele, referindo-se à ajuda europeia.

"Isso é muito bom e acho que você não deve começar a contar, cair na instrumentalização, em uma contagem que seria indecente", disse.

"Estamos em solidariedade. Ponto. E digo isso por todos", completou.

vl/jg/lpt/jvb/mb/cc

Notícias